Beleza

Um dia em SP com a MAC

Passei minha segunda feira em SP por um motivo especial – a MAC inaugurou sua primeira loja fora de shoppings no Brasil, uma MAC Pro super espaçosa em plena Avenida Paulista. O dia começou um uma masterclass, uma aula de maquiagem que a marca oferece a maquiadores parceiros e que eu pude participar. A professora era ninguém menos que Francesca Tolot, maquiadora italiana com mais de 30 anos de experiência na área e que é a maquiadora oficial da Beyoncé (APENAS tá?) há mais de 10 anos.
francescatolot
Adorei Francesca!! Super centrada e profissional, é dessas pessoas que foca em fazer seu trabalho bem feito e não fica de gracinhas, sabe? Meu tipo de gente. Quando um maquiador perguntou qual o conselho que ela daria para um maquiador inicante ela falou bem isso: “Concentre-se em fazer seu trabalho e não se distraia”. Ela também contou que não gosta de usar assistentes – sabe quando você vai num maquiador famoso e o bonito manda alguém fazer a pele e ir adiantando pra ele só chegar e finalizar? (Odeio. Se acontece comigo não volto nunca mais) Com Francesca não tem dessas. Ela disse que só usa assistentes e ocasiões em que tem que maquiar várias modelos para um mesmo momento, por exemplo, mas evita.
macpaulista
Depois foi hora de conhecer a loja, que fica na porta da galeria Top Center na Avenida Paulista. Fui uma das primeiras a pisar na loja e pude ver tudo com calma, vocês não fazem ideia da delícia que é para uma fanática por maquiagem dar de cara com um display de batons da MAC intocado, hahah! A loja tem os produtos da linha regular e também os da PRO, isso inclui cores especiais e produtos diferentes, vale olhar com calma as prateleiras. Logo que entrei na loja uma vendedora veio contar: por conta da inauguração a loja estava com 40% de desconto! WHAT!?? Olha o estrago:
comprasmac

Dei uma pirada quando me falaram isso, hahah! Eu já tinha ido com planos de comprar meu corretivo e um batom, mas não resisti. Comprei o meu Pro Longwear de sempre, um gel de sobrancelhas com cor (a minha foi a Beguille, mas eles têm várias opções – teste pra saber qual funciona melhor pra você!), um Paint Pot Painterly pro estoque (uso de  primer de sombras), o batom Twig (queria o Soar, mas não tinha), o iluminador Soft & Gentle da linha Mineralize (indicação de Marina Smith! Já usei e amei!) e a base Matchmaster (a minha cor é 1.5), minha única base da MAC até hoje tinha sido a Face & Body e queria testar outra – essa tem pigmentos que se adaptam à tonalidade da sua pele, foi indicação da vendedora quando Carla Lemos contou que nunca acha base que funciona pra ela. Confesso que costumo desconfiar desse tipo de produto, mas tava tão locona de empolgação na loja que paguei pra ver (heheh).

Depois de tudo isso ainda teve a festa, lotadaaa e com a presença de Latrice Royale, drag que participou do reality RuPauls Drag Race. A MAC Pro da Avenida Paulista abriu oficialmente hoje, terça feira. O endereço é Avenida Paulista, 854.

Obrigada MAC pelo convite!

Instagram @chatadegalocha
    Links da Semana, Site Bacana

    Links da semana: aprendendo a ficar sozinha

    Eu sempre fui uma pessoa que precisava de ter a companhia de alguém para me sentir bem. Eu tenho mil amigos, e por isso me acostumei a ter sempre alguém por perto. Depois de um tempo eu percebi que encontrar com eles era uma delícia, mas que passar um tempo comigo mesma também era importante. Você consegue passar um tempo sozinha e se sentir bem?

    n-BATHTUBE-large570
    Como aprendi a passar tempo sozinha
    Captura de tela 2015-07-06 13.00.31
    11 razões que comprovam que Legalmente Loira é um filme super feminista

    maxresdefault
    Para os fanáticos por séries

    youbeauty-arms
    Ter amor próprio e autoestima significa não querer mudar nada em você?

    2015-06-30-1435665728-5521902-Untitleddesign4
    A carta de um neto a minha avó

    little-zen-monkey-interna
    Sobre bebês e escalada

    w37_Lips-Place__1_MH
    Lojas legais e baratas em NY

    Youtube @blogchatadegalocha
    Gravidez, Viagem

    Viajando de avião grávida

    Assim que recebi a confirmação da gravidez virei a louca do Google: pesquisei de tudo logo nos primeiros dias, sou dessas que ama planejar as coisas. E uma das coisas que fui olhar logo de cara era como funciona a história de viajar grávida. Eu já tinha feito duas viagens grávida sem saber (heheh) e não me lembro de sentir nada fora do normal, mas fiquei preocupada principalmente com duas viagens longas já programadas para esse ano: Paris e NY. Minha médica sabe o que eu faço e por isso já tinha conversado sobre isso comigo ano passado, quando contei a ela dos planos de engravidar, mas na primeira consulta do pré natal conversamos de novo e por isso fui tranquila pra Paris. Como viajar é algo comum na minha rotina ela não vê nenhum problema que eu continue fazendo como sempre fiz – só faz questão de me checar antes de viagens mais longas para garantir que está tudo bem.
    viajandogravida
    Eu embarquei pra França com 15 semanas e voltei com 17, e estarei com 30 na viagem de NY. Nunca passou pela minha cabeça cancelar nada por conta da gravidez – sou dessas que fala que gravidez não é doença e pretendo fazer tudo o que puder, claro que respeitando os limites do meu corpo e seguindo as orientações da minha médica. Como sei que esse é um assunto que preocupa várias grávidas, vim dividir a minha experiência de dois voos de 11 horas + as muitas de aeroporto grávida:

    A primeira coisa que você precisa fazer é verificar qual a política da sua companhia aérea para o transporte de gestantes. A maioria não oferece restrições até a 27ª semana de gestação e depois disso permite que a gestante viaje até a 36ª, desde que apresente um atestado médico (cada companhia exige um tipo de informação no atestado, verifique no site!). Como estava de 15 semanas nem precisaria levar atestado, mas acabei levando por segurança (e nem usei).

    A segunda coisa é fazer um seguro de viagem que cubra gestantes. Eu sempre faço seguro de saúde nas minhas viagens e dessa vez tive que pesquisar quais cobrem gestantes. Não são todos que oferecem a cobertura e a diferença de preço é triste (é praticamente o dobro!), mas imagina se acontece alguma coisa?? Já acho irresponsável viajar sem seguro em circunstâncias normais, grávida então..!

    Passando pras questões mais práticas, muita gente sabe que sempre viajo usando meias de compressão, mas agora é ainda mais importante! Minha família tem tendência a ter varizes e como viajo muito já tenho em casa alguns pares de meias que uso em voos longos, então continuo com o cuidado. Grávidas têm ainda mais tendência a ficarem com pés e pernas inchados em voos e a meia ajuda demais! É importante também lembrar de circular durante o voo: levantar e andar um pouquinho faz bem para a circulação (me obriguei a fazer isso mesmo morrendo de preguiça).

    Na ida eu ainda não sabia o que era a história das grávidas e o xixi a cada instante, mas aprendi em Paris, hahah! Minha dica é: nunca deixe um banheiro passar!! Você não sabe quando vai aparecer outro e nem quando vai ter aquela vontade maluca, não subestime sua bexiga comprimida, haha! E também não tenha vergonha de pedir pra usar banheiros de lugares randômicos (lojas e etc) se precisar, as pessoas costumam ser muito gentis com grávidas =)

    Não carregar peso demais: grávidas não devem carregar muito peso e isso pode ser uma questão complicada na hora de viajar… Eu viajo muito sozinha e minhas malas de mão costumam ser caprichadas, mas desde que descobri a gravidez tenho prestado atenção nisso ao separar o que vai e o que não vai pra mala. Nessa viagem não tive problemas porque estava com o Leo, que não me deixa carregar nem uma flor sozinha, hahah!

    Eu sou daquelas que prefere chegar super cedo no aeroporto e gastar horas sentada na cadeira, aprendi isso depois de perder um voo importante por conta de uma conexão que atrasou e não ter mais nenhuma opção que desse tempo. Sempre prefiro esperar no aeroporto e isso é ainda mais importante agora, afinal vou ter que comer alguma coisinha (a fome é surreal), passar no banheiro… Fora que se acontecer algum mal estar (uma queda de pressão ou qualquer coisa do tipo) não vou ficar nervosa com o atraso, afinal já estarei pronta pra pegar meu voo. Não faça as coisas com pressa (até porque provavelmente você vai ficar sem fôlego!).

    Grávidas têm direito a fila preferencial no Brasil. No exterior isso nem sempre acontece, mas você pode aproveitar o privilégio por aqui. Minha médica me disse para não ficar muito tempo parada em pé por conta da circulação, mesmo antes da barriga aparecer. Ela mandou eu ficar na fila preferencial me abanando com o cartão de pré natal hahahah! Nunca tinha usado a fila até ontem, quando embarquei sozinha para SP com uma sacola pesada na mão e aí achei que seria uma boa ideia… Olha, embarquei na frente, mas tive que ouvir grosseria de um cara que estava na fila por conta do fidelidade (que veja bem, também sou cliente preferencial do fidelidade, mas as prioridades por lei são diferentes, né?) e um grupo de senhoras, que me informou que eu estava na fila de prioridades. Achei bem absurdo ter que falar “pois é, estou grávida”, até porque a barriguinha está aparecendo, e fiquei meio aborrecida por conta disso o resto do voo (já falei que tô extra sensível né)… Não sei se farei isso de novo, acho que talvez depois da barriga estar realmente grande… Como é chato ter que lidar com falta de educação =/

    Meus voos da viagem de Paris foram muito tranquilos, ainda bem. Não dormi muito na ida, fiquei assistindo filmes e lendo, consegui comer um pouquinho da maravilhosa (#not) comida do avião e cheguei animada. No dia seguinte tive queda de pressão ao longo do dia, e acho que foi meu corpo dizendo que o jetleg (o fuso é de 5 horas nessa época) tava pesado. Nesse dia dormi super cedo e depois de 12 (DOZE) horas de sono, acordei super bem e não tive mais problemas ao longo da viagem. Já a volta foi ainda melhor: estava tão cansada que dormi praticamente o voo todo, inclusive enquanto o avião pousava, hahah! Não senti nada de diferente, foi ótimo!

    Levei na mala os remédios liberados pela minha médica para todas as situações possíveis (vai saber como seria conseguir isso na França! Preferi levar tudo), meu cartão de pré natal, telefone da minha médica e os papeis do seguro. Não usei absolutamente nada, ainda bem =D

    Daqui alguns meses eu volto pra contar como foi viajar realmente barriguda – dessa vez nem dava pra ver, heheh!

    PS: Quer ir pra NY comigo? Ainda temos vagas no nosso grupo! Clique aqui pra saber mais =D