Moda

Resolução de armário novo (de novo!)!

Já escrevi inúmeros posts aqui sobre meus desejos de moda e sobre estilo. E toda vez que penso neles, me vejo constantemente repetindo mais ou menos a mesma coisa, o mesmo desejo, as mesmas vontades do que usar. Mas porque então eu simplesmente não me atenho a eles e resolvo essas vontades, né?
Fui parar pra pensar que tenho vontade de jogar metade do meu guarda roupa fora não uma, não duas, mas umas quatro vezes ao ano (obrigada por existir, Enjoei!). São muitas as vezes que vou olhando as peças e chego à conclusão de que não tenho nada pra usar, mesmo sem espaço pra colocar mais um mísero cabide. E bem, os cabides não fabricam roupa, né? Porque será então que eu continuo comprando as peças erradas? As que eu curto na hora mas depois de pouco tempo já odeio?
Fiquei pensando nisso e cheguei a uma conclusão: por mais que eu odeie admitir, é por preguiça. Por exemplo: durante a gravidez eu precisei comprar peças novas, basicamente vestidos, que eram mais confortáveis com o barrigão. Mas vocês precisam ver como é difícil achar vestidos mais soltos, de modelagem larguinha, sem serem estampadões! Uma das coisas que compro e me arrependo de comprar são peças com estampas marcantes, principalmente as de cores muito fortes… E agora estou aqui com uns 7 vestidos exatamente assim parados no armário, porque era difícil achar os que não fossem estampados e eu simplesmente desisti de encontrar os que me agradassem de verdade e preferi resolver rápido meu problema. Eu sou uma pessoa prática, sabe? Gosto das coisas resolvidas, sem rodeios. Mas essa característica faz com que às vezes eu não pense à longo prazo, e no guarda roupas a consequência é um monte de peça que enche minhas araras e que logo menos não quero usar.
Sei que é clichê ter como resolução de ano novo “comprar menos” (quem aí também tá nessa?), mas acho que a minha é um pouquinho diferente: quero comprar apenas o que eu AME. Quero parar de comprar coisas que “funcionam” e comprar apenas as que me fazem perder o ar ao bater o olho, as que me deixem feliz toda vez que usar e não só durante o trajeto entre o shopping e a minha casa. E pra isso resolvi fazer um exercício pra visualizar melhor o que tenho mais vontade de usar e o que costuma ficar parado depois de algum tempo:

yes

Eu sempre tenho vontade de usar:

-Estampas geométricas! Principalmente listras e em cores discretas (se for p&b então…), mas padrões geométricos em geral me atraem muito!

-Alfaiataria: amo blazers e peças mais estruturadas, elegantes, principalmente se misturadas com…

-Jeans!! Pra trazer contraste com as peças mais formais e acessórios girly que gosto de usar.

no

E o que costumo comprar e ficar parado:

-Peças com ar boho: estampadas, soltinhas demais, molengas demais. Gosto de estrutura, mas acabei comprando vários assim na gravidez… Em breve na minha lojinha do Enjoei :P

-Estampas muito coloridas e marcantes: não dou conta!! O problema aqui é que amo estampas, acho bonito… Mas de ver, sabe? Não pra eu usar! Mas preciso lembrar disso na hora das compras.

-Romantismo em excesso: odeio me ver com peças românticas demais… O problema é que já fui super romântica no vestir, cheia de laços, babados e cores suaves no armário, então essa preferência da Lu de alguns anos atrás ainda me confunde, sabe? Vez ou outra me pego olhando uma foto de vestido fofinho demais e me odiando por aquela escolha, kkkk!

Hum, até que depois de ver assim facilitou, hein?? Agora preciso arrumar um tempinho pra fazer mais uma limpa no guarda roupa e eliminar as peças que estão enchendo as araras mas que nunca uso. Amo esse momento “limpeza” porque a gente acaba redescobrindo várias peças que costumam ficar escondidas no meio das peças erradas!

Vou anotar na agenda para checar no final do ano se consegui focar nisso… Me lembrem em dezembro, combinado?

Alguém mais quer mudar o guarda roupas em 2016?

Comentários:
  1. por Giovanna
    em 08.01.2016 às 08:17

    Lu, tô passando pela mesma situação. Estou em um processo de perda de peso e vejo roupas no armário que não me cabem (por serem muito grandes ou muito pequenas) e não me agradam. Aí acabo usando sempre a mesma coisa. Então o que eu fiz: viajei, comprei apenas peças que amei (como você disse) e que me via usando frequentemente. Sou mais básica. Não curto muitas estampas e se for colorido tem que ser de preferência liso. Gosto demais de vestidos, então tenho que ter muitos acessórios pra mudar o look como lenços, blazer, colares e etc. Devo dizer que o vídeo das meninas que ajudaram na organização da sua casa me deu muita luz. Fui na loja, comprei caixas e estou guardando tudo que eu gosto, mas no momento não me serve. E o que eu não gosto estou doando e vendendo.

    Força que dá certo! Você já deu o incentivo pra gente! Você também consegue! Beijos pra você e pra sua família linda!

  2. por Carla Gomes
    em 08.01.2016 às 08:18

    Lu, estou nesse mesmo dilema há anos! Me identifico contigo no que diz respeito ao que eu amo, mas sempre acabo me rendendo ao que eu “adorei” no momento. Resultado? Arrependimento na certa!
    Eu gosto demais da proposta de “armário-cápsula”, mas não acho que esteja preparada pra aderir. Hahahah
    Mas tô tentando incorporar nas minhas compras (e na vida também!) alguns conceitos pregadores pela proposta. Já estou vendo a diferença!
    Um beijo.

  3. por Luana Sousa
    em 08.01.2016 às 08:26

    A gente começa a fazer isso com a roupa e depois você vai estender isso para os sapatos. Quando sua filhinha começar a andar, você vai querer correr atras e brincar com ela, vai querer estar confortável e uma hora vai olhar sua sapateira e se perguntar o porque de ter tanto salto. Vai diminuir drasticamente a quantidade de saltos deixando apenas alguns para eventos ou casamentos. Pois o melhor vai ser curtir a sua filha enquanto for pequena. Quando ela for maior e se tornar sua companheira de passeio, as duas vão sair para comprar saltos juntas novamente!!

  4. por Alessandra
    em 08.01.2016 às 08:28

    Eu tb acabei de ter um bebe em Dezembro e estou doida para mudar meu guarda roupa, nada esta caindo mto bem e com o lance da amamentacao esta mais complicado. Vamos ver se terei um tempo ate Dezembro pra focar nisso pq agora esta impossivel passar horas arrumando um closet. Adoro as suas dicas! Beijo!

  5. por Camila
    em 08.01.2016 às 08:47

    Não vejo a hora da lojinha do Enjoei! com as peças de grávida!
    Acabei de descobrir a minha e já tô aqui planejando looks!
    Você tem um estilo lindo! Amei os looks da gravidez!
    Feliz Ano Novo, de guarda-roupa novo!
    Beijocas em você e na família linda!

  6. por Naiane Farias
    em 08.01.2016 às 09:04

    Estou passando exatamente pela mesma situação, Lu! Hahaha Guarda-roupa cheio e a sensação de nada para vestir. Pretendo tirar metade das coisas que estão lá ainda esse mês. Mas agora sempre que vou comprar algo tento focar no pensamento “Se ficar em dúvida, não leve”. Vamos ver se dá certo. Rsrs ;)

  7. por Jess Vieira
    em 08.01.2016 às 09:04

    Super me identifiquei com seu post, Lu! Eu sou exatamente assim: acabo comprando peças que sei que não vou usar muito mais que uma vez pelo simples fato de nem sempre encontrar algo que gostei de verdade, e assim acabo correndo para a praticidade.

    Comecei a dar uma organizada no meu armário no ano passado e estou retirando tudo o que não tem mais a ver comigo: peças super coloridas, estampadas e fofas! Ainda falta muito para eu chegar no resultado alcançado, mas já vejo como um começo hehe.

    Iria adorar se você compartilhasse um pouco mais sobre essas mudanças durante o ano (aqui no blog ou redes sociais mesmo), é sempre bom ter mais alguém que a gente gosta e admira como inspiração na hora dessas mudanças :)

    Um super beijo e boa sorte com o novo armário <3

  8. por Flávio
    em 08.01.2016 às 09:05

    Lu,

    Apesar de acompanhar um blog há algum tempo, esta é a primeira vez que comento, pois estou passando por algo parecido.
    Sempre fui muito básica, calça jeans e uma blusa (por preguiça msm!), comprava umas peças legais, mas elas logo iam para o fundo do armário. Depois que comecei a trabalhar no meu atual emprego, que pede um look mais formal, me sinto muito perdida, pois queria achar um estilo meu, sabe? Algo que eu amasse e ficasse bom no meu corpo. Tenho um corpo até fácil, uso P, PP, 36, mas como sou baixinha e tenho os seios grandes, parece que algumas peças não ficam boas, aí acabo morrendo na calça social e na camisa mais larguinha. Se vc tiver uma dica para looks mais formais, mas que saiam um pouco disso do que te falei, agradeço!

    Abraços!

    • por Flávia
      em 08.01.2016 às 09:08

      Aff! É Flávia. Esse corretor do celular ainda me mata de vergonha!

  9. por Jéssica
    em 08.01.2016 às 09:12

    No meio do ano passado eu também decidi que só iria comprar peças que eu realmente tivesse amado. No começo foi um saco, pq não encontrava nada e ficava frustrada, até que percebi que é melhor a frustração com o dinheiro no bolso doq a frustração de comprar uma peça que fica parada. rs
    Depois disso comecei a encarar como um projeto a longo prazo, eu não precisava comprar nada, se eu encontrasse algo que amava, ai sim iria comprar (sem pressão! rs).
    Agora já estou mais seletiva e consegui varias peças que eu fico suspirando de amor toda vez que vejo! rs

  10. por Josiane
    em 08.01.2016 às 09:21

    Durante a leitura do seu texto percebi uma porção de coisas erradas que faço também e que não me dou conta.. Estampas demais e cores, realmente, cansam. Há peças que amamos mas que ficam paradas acho que só de olhar no armário. O que pretendo fazer é guardar (em caixas mesmo, em cima do armário, pra esquecer que a peça existe) e pós alguns meses olharei pra ela, espero que dê saudade e vontade de usa-la, mas se não bater aquela vontade, tchau.
    Já ha peças em que reconheço que a compra foi ruim… Espero escolher melhor também.

  11. por Polly
    em 08.01.2016 às 09:30

    Oi Lu!

    Acho que muita gente tem pensado assim.. Eu estou lendo bastante sobre o tal armário cápsula, que seria você viver um tempo (no conceito original era a vida toda) com um número limitado de peças que sejam completamente amadas e que demonstrem totalmente seu estilo. A maioria das pessoas que está tentando um armário cápsula tem um estilo mais minimalista, prezando por qualidade e por peças éticas, já que as fast fashin nos fazem comprar muitas peças sem sentido, baratas, com a exploração de trabalho escravo ou da natureza.
    Outra coisa, eu sigo o blog há eras acho que 2009/2010 (quando houve um boom de blogs e comecei a ler vários, hoje leio uns três) e lembro que quando você fazia uma pós, tinha vontade de sair das calças jeans. Achava que era muito informal e não representava seu estilo. Eu passava pela mesma crise, estava começando a trabalhar e achava que os jeans sempre me davam um ar muito despojado. Hoje já cansei de usar calças sociais, com cortes clássicos e outras roupas mais “formais” e voltei ao jeans para ser um pouco menos “séria”. Eu combino com camisas sociais, com terninhos e sapatos mais clássicos pra manter o estilo…
    Também tive uma fase (ou uma vida) muito fofinha, com lacinhos, rendinhas e fofurices. Eu ainda gosto, mas em doses homeopáticas!
    Engraçado como vamos e voltamos em nossos estilos né?

    Super bjo!

  12. por Tatiana
    em 08.01.2016 às 09:34

    Adorei a resolução de ano novo, Lu! Adoro peças mais estruturadas, P&lb e estampas geométricas. Bem pouca estampa!! Mas acho super difícil encontrar peças assim aqui em Goiânia, tenho que ir garimpando o shopping todo. Quais marcas com esse estilo vc gosta?
    Bjs

    Ps.: que foto mais fofa da Bia no ig!! Awwn *.*

  13. por Camila Lima
    em 08.01.2016 às 09:38

    Nossa Lu, mais um ótimo post!
    Agora olha meu desafio, fazer o mesmo porém com um detalhe: grávida de 3 meses.
    Simplesmente não consigo comprar nada de grávida pois acho tudo tão feinho e estampado =/
    Resultado: a barriga está crescendo e estou começando a ficar realmente sem roupa (e eu já achava que não tinha roupa pelos mesmos exatos motivos que vc rsss)
    Sabe, tá me dando até um friozinho na barriga pois acho que vou acabar “caindo” na mesma praticidade que vc….
    Ah! Vou ficar esperando sua próxima leva de roupas pro Enjoei pra ver se aproveito seus vestidos de grávida =D só tô com um pouquinho de medo de ficarem curtos, pois tenho 1,70… quanto vc tem de altura? Rss
    Bjos e obrigada pelos posts inspiradores! Ótimo 2016 pra vcs todos!!!

  14. por Roseli
    em 08.01.2016 às 09:51

    Eu tb sofro disso Lu, kkkkkkk… compro peças que na hora gosto e depois ficam entulhando o guarda roupas… este inicio de ano tb irei fazer a limpa e procurar comprar só o que eu realmente uso, rsrsrs
    Parabéns pela Bia ela é linda… amo seus vídeos, sua familia e seu jeitinho… bjão

  15. por Cah Duarte
    em 08.01.2016 às 10:01

    Hey Lu,
    Acho que toda vez que troca estação eu fico pensando nisso. Mas, diferente de você não consegui ainda encontrar com tanta clareza uma linha para seguir. Estou “mais ou menos ok” com meus sapatos – estou abandonando os saltos, não tem nada a ver comigo e insisti muito (tem 4 ou 5 que ficaram eternamente parados no meu armário) – e com as roupas de inverno. Contudo, chega o verão e está td uma desordem. Odeio alcinhas finas de vestidos e blusas, blusas curtas e alguns tecidos com cara de verão, mas no fim estou derretendo. Está complicado.
    Sobra espaço, mas falta uma clareza e um tanto de grana hehe.

  16. por Amanda Carrera
    em 08.01.2016 às 10:19

    Nossa, eu super quero mudar. Acabei de fazer 30 anos e olho para o meu guarda roupa e vejo roupa de uma pessoa de 20 sem estilo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Não vejo a hora de comprar novas peças condizentes com a minha idade e estilo. Todos esses itens que você compra e fica parado eu não gosto em mim tbm. Estampas chamativas então… Descobri que sou mais minimalista e estou cheia de peças estampadas. Mas é isso aí, o importante é que você descobriu e agora tem essa consciência.

  17. por Marina Silva
    em 08.01.2016 às 10:20

    Pois é Lu, ás vezes acabamos comprando muitas roupas que só funcionam na hora e depois não conseguimos mais usar… dramas da busca pela praticidade momentânea…
    eu amo estampas, então vou ficar de olho aguardando as peças na lojinha do Enjoei! Bjos e força nas resoluções de Ano Novo!

  18. por Flaviana do Vale
    em 08.01.2016 às 10:23

    Eu também penso assim Lú! mas acho que é o amadurecimento, os gostos vão mudando e se apurando! Essa “limpeza” faz bem pra alma… e ainda deixa um monte de gente feliz com o que não queremos mais!!!

  19. por Amanda
    em 08.01.2016 às 10:28

    Oi Lu,
    te acho linda e amo seu estilo, principalmente durante a gravidez.
    Será que é pq tô grávida? ?? Kkkkkk claro né. ..
    Tenho um problema enorme as poucas peças que adquiri durante esse
    tempo que tô grávida e tudo com estampa, estampas geralmente florais e grande
    muita cor. Aff só tô na metade da gravidez e já enjoei.
    Acho que quando puder usar roupas que tenha que caber uma barriga na
    Vou comprar só p&b. .. Apesar de não ter engordado nada pq perdi 4 kilos
    no começo devido os enjoos, a minha barriga é ENORME.

  20. por Mariana
    em 08.01.2016 às 10:30

    Eu dei todas as minhas roupas que usei na gravidez. TODAS. Na verdade, eu não comprei nenhuma roupa de gestante, mas roupas comuns que acomodassem o barrigão, mas enjoei de todas e doei. Acho que muito por ser isso que você disse, roupa prática que atendia o problema na hora e não necessariamente atendia o meu gosto. Acho que isso é um problema geral das gestantes!

    Sobre as estampas, eu tb não sou muito fã e evito ao máximo tudo muito colorido e grande,mas moro no Rio é impossível fugir do “vestidinho Farm” no verão. É muito calor e esses vestidinhos leves com rasteirinha são o que salvam! O que eu faço é comprar os que tem estampas menores e mais simples (geométrico ou floral pequeno). Infelizmente (ou felizmente, nunca sei, hahaha) tem umas peças que são impossíveis tirar do armário e acho que são os casos desses vestidinhos.

    Agora, sobre comprar só o que ama, eu já adoto isso há uns bons anos. Desde que comecei a me interessar realmente por moda e a entender melhor o meu gosto e o que eu quero, tenho gastado mais com qualidade do que quantidade. Adoro a teoria do armário cápsula!!!

  21. por Ariana
    em 08.01.2016 às 10:55

    Nossa, Lu! Me vi nesse post, exatamente os mesmos problemas que os seus, além de achar que gosta e descobrir mais tarde que fez a escolha errada. Realmente estar grávida complica as escolhas, estou nas últimas semanas e sonho acordada com as roupas que me esperam no guarda roupas. Em 2016 também quero comprar apenas o que amo! Coragem para fazer a limpa, hehe…

  22. por Mari
    em 08.01.2016 às 11:06

    Lu, essa foi a minha resolução para 2015 e deu muito certo. Quem me deu esse toque, na verdade, foi meu marido. Ele sempre me perguntava porque eu não comprava algumas peças caras que eu ficava namorando meses… e enchia a casa de coisas mais “baratas” que eu não tinha amado tanto. No final, eu acabava gastando mais e ficando sempre insatisfeita! Agora compro só o que amo muito e sei que combina comigo. Também são roupas p&b estruturadas… Não adianta entrar na Totem só porque a vitrine tá linda, sabe? Fiz muito isso, tinha o armário lotado e usava sempre as mesmas roupas queridinhas… Mas agora não faço mais isso e tô mais feliz! Boa sorte!
    E muita saúde pra sua pequenininha. Sua família é uma graça! Parabéns! :)

  23. por Gabriela
    em 08.01.2016 às 11:06

    Adorei Lu ! Estou com essa ideia também, porém meu problema não é comprar coisas diferentes apenas, mas sim comprar demais… As vezes acho que compro coisas demais e as vezes percebo que falta coisas no armário, é difícil trabalhar todos os dias sem repetir muito as roupas, além do que quando repito é porque realmente gosto e me sinto bem naquela roupa. Esse ano vou me abrir mais a tentar usar tudo que tenho no armário, e não apenas focar nas coisas de sempre. Assim aproveito as roupas e consigo ver o que realmente pode ir embora ou não. Bjs

  24. por Raema
    em 08.01.2016 às 11:07

    Engraçado, todos os pontos que você não quer em você são os que acho que mais te identificam, rs.

  25. por Lidy Alencar
    em 08.01.2016 às 11:10

    A vibe do diminuir as comprar em 2016 pegou geral; foi um dos meus “mandamentos” e foi justamente pelos motivos de ter um guarda roupa cheio e vazio ao mesmo tempo. Me identifiquei super com o seu relato. Os outros mandamentos talvez te inspirem, vai que?!
    https://ameliahavefun.wordpress.com/2015/12/28/agora-e-2016/

  26. por vivian
    em 08.01.2016 às 11:18

    Lu, to na mesma desde que me entendo por gente.
    É meio assim: eu acho a peça linda (nos outros) e quando compro pra mim me sinto um robô ambulante. Detesto estampas de flores por exemplo, coloridonas e tmb nao sou nada romantica, mas fico insistindo como se usar repetidas vezes o que nao gosto fosse mudar meu estilo.
    Pra esse ano também quero parar de comprar o que nao uso ou nao me faz feliz. Assumir o meu estilo básica e discreta. E tentar, pelo menos uma vez na vida, nao odiar meu guarda roupas todos os dias.

  27. por CORALINA
    em 08.01.2016 às 11:22

    Oi Lu! Não me considero uma compulsiva por compras e, por isso, tb tenho problemas para comprar (normalmente não compro…rs). Até sei do que NÃO gosto, mas tenho dificuldade de encontrar o que de fato me agrada. Então, para 2016, farei um exercício: cada peça que eu comprar tem que me render, no mínimo, 3 produções. Assim, coloco em prática todas as duper dicas de blogs de moda, como o seu S2, e a criatividade pra funcionar, pois usar as mesmas roupas sempre do mesmo jeito, CANSA! (Obs: comprei uma saia da ZARA na promoção e já fiz o exercício. Fiquei super feliz em ver as fotos das vááárias produções que consegui criar com outras peças e acessórios meus, aumentando a vida útil do meu guarda-roupa…vivaaa!!!)

  28. por Eliane Gomes
    em 08.01.2016 às 11:38

    Nossa eu estou na mesma situação e faz tempo! Não gosto da maioria das roupas que tenho, aí na hora de vestir é sempre a mesma história..”Não tenho roupa!”.. meu gosto mudou bastante nos últimos tempos, mas as antigas peças ficaram, além disso ganho mta coisa que não tem nada a ver com meu novo estilo, enfim é difícil e caro mudar o armário todo, e assim eu continuo nessa angústia cada vez que vou me vestir!
    Lu, continue dividindo com a gente esse processo..vai me ajudar muito!rs
    Bjos..

    Ps.: A Bia é mto linda!

  29. por Michelle Campos
    em 08.01.2016 às 11:41

    Que post legal!! Eu estou em um processo um pouco diferente para encontrar o meu estilo…em 2015 comprei coisa demais! Estou com o armário lotado…mesmo tendo feito umas três ou quatro limpezas e tirado bastante coisa que não usava mais.
    Resolvi que em 2016 não vou comprar roupa! Meu objetivo é não comprar nenhuma peça (o que vai ser bem difícil, mas quero seguir firme com meu objetivo). Quero usar as coisas que eu tenho, descobrir novas combinações, ver quais são as minhas peças favoritas, o que eu uso mais e qual o estilo de roupa de encaixa mais na minha rotina.
    Confesso que fazendo isto, tenho exercitado bastante a minha criatividade na hora de me vestir e apostado em peças que muitas vezes ficavam paradas!
    Estou escrevendo um diário desta jornada de auto conhecimento através do meu guarda roupa! Tem sido um exercício legal!
    Por enquanto, sem dificuldades…mas um ano sem comprar acho que não vai ser muito fácil…:P

  30. por Joana Valente
    em 08.01.2016 às 11:43

    Nossa, sou completamente diferente de você!! rs A única coisa que combinamos é o desinteresse por roupas românticas! Nada de babados grandes, médios ou pequenos!! Mas AMO uma estampa, AMO cores fortes e AMO esse ar boho!! Não consigo usar nada muito geométrico, nem MT preto e branco e nem de alfaiataria. …Gosto de peças práticas, alegres e com algum detalhe que chama atenção. Não uso muitos decotes e nem nada justo! Gosto do equilíbrio! E diferente da maioria, meu guarda roupa é super econômico!! Uso mt todas as minhas roupas e acabo enjoando, o que acaba me fazer tirar elas do armário assim que vejo que parei de usar! Não gosto de muuuuitas opções da mesma proposta pq sinto pena das roupas que eu gosto e que não são usadas com tanta frequência, acho um desperdício! rsrsrs To sempre comprando alguma coisinha, mas sempre tiro do armário tb o que não uso por mais de 03 meses. SE não usei nesse período, com certeza não usarei depois! E a graça tá aí…pesssoas diferentes e estilos diferentes!!

  31. por Polliana
    em 08.01.2016 às 11:44

    Lu, não tinha como eu me identificar mais com seu post! Até bati palma na parte do: só vou comprar peças que eu AME! Foi EXATAMENTE o que eu coloquei na minha cabeça.
    Estou passando pela mesmíssima fase que vc. Tão bom saber que tem pessoas na mesma… kkk
    Bjo

  32. por Anna Luiza
    em 08.01.2016 às 11:50

    Amei essa autoanálise da moda!!! Tenho que fazer isso também, vou seguir as dicas!
    E sigo ansiosa pelas roupinhas no enjoei, principalmente as estampadinhas da farm!! hehehehe
    Bjaooo

  33. por Sara Morais // The Citified
    em 08.01.2016 às 12:47

    Eu precisava mudar tudo!!! Não era só as roupas, era o armário, o quarto, a vida, sei lá! Mas isto já me parece a resolução de todo o mundo, certo? Então, deixando o cliché para trás, acho que sim, precisava mudar o guarda roupa e, também eu, deixar de fazer compras por impulso e investir em peças boas, intemporais e que vou usar até rasgar (geralmente acontece com as gangas, sejam calças ou camisas). Não tem de ser necessariamente peças caras e de marcas top, podem ser até mesmo de fast-fashion (minha resolução de 2016: estou proibida por mim mesma de comprar na Zara. O meu armário tá cheio de peças da Zara e qualquer dia ainda dizem que a marca me patrocina – não que eu me importasse), mas que tenhamos a certeza de que vamos usar uma vida e que nem temos dúvidas na hora de escolher o que vestir. Acho que é isso que faz um bom guarda-roupa.

    Aproveito Lu – porque ainda não o fiz, acho – para te desejar um feliz ano novo, que 2016 seja um ano de muito amor, de muito sucesso e que isso tudo seja vivido com muita saúde.

    xx Sara
    http://www.thecitified.com

  34. por Rosa
    em 08.01.2016 às 13:09

    Lu, tudo bem?

    Passei por essa experiência de perceber o que AMO no guarda roupa e o que não me faz feliz no ano passado. E foi incrível. Ai resolvi arrumar o guarda roupa seguindo o modelo do método Konmari (da japonesa Marie Kondo) e a experiência foi tão marcante e me deu tantos insights que estou começando meu próprio negócio com o intuíto de ajudar as pessoas a se encontrarem verdadeiramente no seu guarda roupas!
    Eu não segui 100% o método do livro e acabei desenvolvendo algo meu, mas se quiser é só procurar o livro: Marie Kondo – A mágica da arrumação ou podemos conversar para algo mais voltado ao guarda roupas rs.

    Felicidades nessa nova fase com Bia!

    bjs

  35. por CAMILA DE GUIMARAES DIAS
    em 08.01.2016 às 13:17

    E o tanto que é difícil encontrar roupas, principalmente vestidos, para amamentar? É um dos meus “traumas” da amamentação.

    PS.: Sonhei que você estava numa matéria no Fantástico, falando sobre abdome trincado no puerpério. rsrsrs

  36. por Marina
    em 08.01.2016 às 13:48

    Lu, não me leve a mal, mas se vc reduzir a verba das compras e limitar a um valor beeeeem menor que vc gasta hoje, vai perceber que vai valorizar mais cada peça que comprar, vai ter que pensar mais antes de gastar com uma peça porque sabe que vai ter uma verba limitada e se quiser comprar outra coisa que amar mais, talvez não possa. A gente sabe que as blogueiras de moda ganham bem e ganham muita coisa, e talvez por isso perdem esse senso de encantamento… lembre da época que vc ganhava menos, de quando vc sonhava com uma roupa ou acessório, de quando vc rodava o shopping e olhava muita coisa antes de decidir o que comprar… talvez ajude a colocar os pés no chão de novo!
    Esses tempos vi que eu tinha uns 15 blushes na gaveta e fiquei assustada. Eu realmente amava e usava sempre os mesmos 3, então por que eu tinha tantos? Bjs

  37. por Bruna Godinho
    em 08.01.2016 às 13:54

    Lú, também estou passando por isso, mas não sei se tenho tantas roupas assim. Neste ano quero encontrar o meu estilo, aprender a me vestir com o que eu tenho e diminuir as compras. Meu principal ideal neste ano é economizar pra viajar.

  38. por Beatriz Aguiar
    em 08.01.2016 às 14:24

    Estou nessa também Lu! De uns anos pra cá eu estou bem desapegada e procurando tirar tudo que não me agrada do armário. Doo bastante e procuro vender algumas peças sem uso. E como faz bem né?! O duro mesmo é comprar peças certas sem que a gente não se arrependa depois… Minha maior meta de 2016 é não comprar nada desnecessário ou que eu já tenha, e procurar pensar mais antes de comprar aquele vestido que nunca vou usar por falta de oportunidade.

    Descobri que sou do time das básicas e amo os jeans com uma blusinha estampadinha, com um tecido mais chic. Combina com tudo e serve tanto de dia para de noite. E os sapatos também sou do time das sapatilhas e nunca mais comprei uma sandália de salto por perceber que tenho uns 10 sem uso.

    Vai contando pra gente sobre essa mudança, Lu! Se está dando certo, se você está achando as peças que sabe que vai amar…

    Beijinhos

  39. por Flávia
    em 08.01.2016 às 15:17

    Lu, me identifiquei muito com seu sentimento! Acho super válida essa reflexão, e muito bacana como vamos ficando mais conscientes do que realmente nos representa né?! Vejo como hoje compro muito menos quantidade do que há uns anos, mas sinto que tenho escolhas muito melhores! Todo ano procuro olhar pro que eu realmente gostei de usar nos meses anteriores, e hoje percebo que isso faz muita diferença na hora que desisto (com orgulho!) de uma compra por impulso. Você é uma querida, beijos!

  40. por Helisa
    em 08.01.2016 às 16:00

    To passando por algo assim. Meu estilo está mudando, evoluindo… Então comecei o ano esvaziando o armário com força, pra dar espaço pra esse novo estilo que estou construindo devagar.

  41. por Cindy
    em 08.01.2016 às 17:13

    Além do “tem que amar, não basta só cair bem e ficar bonito”, o que tem me ajudado quando fico em dúvida se aquilo é meu estilo atual ou não (como no seu caso com as roupas românticas, que já não são mais o estilo que você quer usar), é pensar em alguém que tem um estilo com o qual eu me identifico e imaginar se aquela pessoa usaria a peça ou não. Assim, experimento uma blusa que eu acho linda, mas tem cara de coisas que eu usava há três anos. Imagino se a Olívia Palermo usaria tal blusa e penso “não, muito fofinho para ela” ou, “totalmente!”. Facilita muito! É mais fácil observar “de fora” uma outra pessoa do que a si mesma. E é irrelevante se a pessoa usaria mesmo a blusa ou não, o que importa é que o estilo que você quer, identificado naquela pessoa, é representado naquela peça que você escolheu.

  42. por Aline
    em 08.01.2016 às 17:35

    Tbm estou nessa!!! Compro muito por impulso e não penso se funciona no dia a dia pra mim, pro meu corpo… As vezes só é bonito nos outros..

    Amoo listrass e blazer!!!

  43. por Lurian Leles
    em 08.01.2016 às 17:45

    Lu, super me identifiquei! Para 2016, quero um armário mais enxuto, básico, prático, com peças que combinem entre si e de melhor qualidade (desintoxicar de fast fashion) e, como você, comprar somente aquilo que eu AME mesmo.

    Sempre fui muito colorida e isso já não combina em nada comigo mais! A gente muda, os gostos mudam, o guarda-roupa também tem que mudar, né?! Já comecei a me jogar mais no P&B.

    Beijos!

  44. por Priscila
    em 08.01.2016 às 17:51

    Oi, Lu! Eu também, acabei de ganhar bebê e preciso renovar meu guarda roupa para a nova etapa: a amamentação… posta dicas do que vc está usando para amamentar!

  45. por Heloísa Schwarzwalder
    em 08.01.2016 às 18:01

    Que engraçado Lu, amei as fotos das peças que você não gosta muito, hehehe!!! Amo estampas, mas tenho poucas no meu guarda-roupa. Eu acabo comprando peças mais básicas. Não gosto de azul. Outro dia me dei conta de que quase todas as minhas blusas de trabalho são azuis, hahaha! Que bizarro isso, né? Em compensação amo rosa e vermelho, e essas cores estão em falta no meu guarda-roupa, vai entender! É que acho que o caimento conta muito né, às vezes amo muito o caimento de uma peça, e mesmo não gostando tanto da cor, acabo levando porque vestiu bem. Mas já me conheço bem mais do que no passado, e minhas escolhas estão ficando mais conscientes. Mas vez ou outra ainda me pego comprando uma bobagem, hehe!

    Um grande beijo!

  46. por Marcella
    em 08.01.2016 às 18:01

    Lu, hj lembrei do seu post na hr do almoço, eu queria um colete mas nao amei, ai nao comprei! :) 200 reais economizados e mais espaço no armario! Obrigada, bjos

  47. por Flavia
    em 08.01.2016 às 18:34

    Oi, Lu!
    Ontem vi sua irmã na Marias Cerzideiras, na Savassi, mas fiquei sem graça de conversar com ela. Te acompanho há anos, sempre torci por vcs, acho sua irmã igualmente legal, mas ontem a jacuzice me impediu, rs. Bom, o que eu queria falar para ela era que desejo um ano maravilhoso para vcs, e, apesar da vcs nao me conheceram, queria mandar um beijinho para a fofa da Bia tb. Entendo e acho bacana a corujice dela como tia, tenho dois sobrinhos tb, são meus amores, Apesar de te acompanhar há mto tempo, nunca comento, mas hj achei que seria uma boa hora para mudar isso. rs. Felicidades para vcs. Fala para Julia por mim? Obrigada! BJS

  48. por Hani
    em 08.01.2016 às 20:54

    Tem algumas peças que eu sempre penso em comprar, mas por algum motivo vou adiando essas compras. (preguiça!!!) Minha meta para o guarda-roupa em 2016 é ir atrás dessas peças e já me prometi, se não encontrar em lojas vou mandar fazer na costureira. Beijo Lu!

  49. por Marilia
    em 08.01.2016 às 21:07

    Nossa, Lu! Muito pertinente esse post viu! Estou enfrentando o mesmo dilema. Ainda não tive filhos mas estou muito incomodada com minhas roupas, preciso identificar o que realmente gosto e também fazer uma faxina por aqui! Muito obrigada! Beijos!

  50. por Carol
    em 09.01.2016 às 10:08

    Eu já estou trabalhando em comprar apenas o que amo há um tempo. Ante de sair pra comprar, olho o armário e penso “que peças vão me ajudar de verdade?” Mas muitas vezes, rodo o shopping todo e não acho nada do que realmente quero… Frustación total.

    Acho que as lojas vão muito na onda de modinhas e fazem tudo meio igual. Estampa tá na moda, então tá difícil achar peças neutras, básicas e fáceis de combinar. É exatamente o contrário do que se deve fazer num tempo de crise. Coco Chanel venceu na crise pois vendeu algo de fato inteligente: menos tecido, menos firulas, corte impecável, elegância, pronto!

    Também estou grávida, e detesto boho. Vou numa costureira com todos os looks da Kate Middleton grávida pra copiar. Rs… Por quê a moda nesse país não investe mais em roupas desse estilo, né? Estrutura, minha gente! Por favor!

    Obs: aguardo as novidades na sua lojinha do Enjoei! Rs…
    Bjs

  51. por Rafaela Ramos
    em 09.01.2016 às 11:17

    Lu sou sua fã a uns bons anos, te acompanho aqui e no seu canal do youtube. Te admiro e me inspiro em você… Nunca comentei, mas hoje senti vontade e aqui estou eu, me vi em vários momentos desse texto… Também estou nessa tentando comprar menos e somente aquilo que eu ame, se eu achar “legal” ou “bonitinho” só porque está em alta, não compro, acredito que a moda somos nós que fizemos com aquilo que nos favorece.

  52. por Alice Marques
    em 09.01.2016 às 12:18

    Estou nessa também, Lu. É dificil quando vemos que mudamos nosso estilo, que as coisas que combinavam antes, agora não fazem mais a cabeça. É um exercício constante, se conhecer melhor.

    Boa sorte nessa mudança!

    Beijoks pra você e para Bia, claro

    http://www.atesemsalto.com

  53. por Ana Schmidt
    em 09.01.2016 às 16:28

    Você era uma grávida. Magrinha. Linda! Eu sou plus size! :/ Se você teve dificuldade de encontrar vestidos casuais que não tivessem uma estampa estranha ou enjoativa, imagine eu! Desisti faz tempo. Ontem, calorão aqui em Porto Alegre – uns 34º e eu saí de calça jeans, mocassim e camiseta. Não porque eu quisesse mas porque não fazem saias e vestidos que me servem e que sejam, preto, preto e branco, com poá bonitinho, listrados, cinza… não! É tudo, sempre, muito estranho. Ou me vestem como a geração da minha vó, ou me vestem de cupcake (literalmente, já vi muitas lojas com camisas com estampas de cupcake), ;/!
    Mas esse ano decidi a mesma coisa, seu eu não amar e se eu não ME amar com aquela roupa, não vou gastar nenhum centavo nela. EU hein? Até criei uma conta no Enjoei, hehehehe. Só falta usá-la!! Beijão Lu! Amo seu blog!!! :*

  54. por Lu Sancho
    em 09.01.2016 às 18:23

    Gostei da ideia do armário capsula. Eu não conhecia este conceito e vou pesquisar melhor. Por isso sempre leio os comentários, sempre tem ideias e dicas fantásticas a partir dos posts. Obrigada, Lu, por trazer o assunto a tona. Eu tenho até um guarda roupa discreto em termo de volume e quantidade de peças pq eu não aguento ter muita coisa acumulada, não. Consumo consciente não é só moda, é um conceito inteligente e uma necessidade hoje em dia. Bjs

  55. por Larissa Andrade
    em 09.01.2016 às 21:50

    Luuuu meu deus! hahaha Estava passando por esse mesmo problema, idêntico! Mas como eu acabava comprando qql coisa por que eu estava precisando e não achava algo que eu amasse de imediato, eu não conseguia definir quais eram os estilos de roupa que eu gostava. Até que um dia percebi que só usava as roupas que eu gostava de primeira, sabe quando a gente experimenta e fala : “Nossa, amei”, e se sente completa com aquela roupa? Então foi assim. Eu ia muito na onda do que estava em alta, e acabava não usando. Acho que uma boa dica é nunca sair exatamente para comprar muita roupa, isso acaba colocando uma certa pressão e vc acaba levando peças que não vai usar. Adorei o post! Um beijo ;*

  56. por Andreza
    em 09.01.2016 às 23:40

    Oi, Lu!

    Hoje, eu tinha uma entrevista de emprego e qual foi o meu apuro quando, ao vestir um look que eu já havia bolado na minha cabeça e tive que abrir mão dele por as minhas calças estão todas apertadas. Meu guarda-roupas de trabalho é basicamente de peças de alfaiataria, principalmente as calças, pois sempre trabalhei em escritório e as calças estão como que fechadas à vácuo. Eu engordei 10 kg nos últimos 2 anos, sendo 6 kg só nos últimos 8 meses, o que pra mim não foi ruim tendo em vista que a minha VIDA TODA eu tive sub-peso medindo 1,67m de altura e pesando, 47kg, 48kg. Até vestidos e sais com o design mais tubinho e lápis que eu tenho, já eram. Agora, é conseguir um emprego novo e renovar a parte de botons.

  57. por ana
    em 10.01.2016 às 10:41

    de nada <3
    bia linda!

  58. por Nora Gouma
    em 10.01.2016 às 13:01

    After reading the translation from this amazing blog, truly interesting post, great pictures as well, I love it, thank you for sharing!!!

    xxx

    http://www.bridesonamission.com

  59. por Patrícia Nelson
    em 10.01.2016 às 14:30

    Eu tenho esse problema Lu!!! Só que o meu mais grave ainda, pq eu faço a limpa no armário toda hora!!! Pelo menos de 2 em 2 meses! E é muita toupa que eu tiro. Sou o tipo de pessoa básica demais. Adoro um look diferente, mas quando vejo já comprei algo basicão. Esse ano tomei a mesma decisão que vc. Veremos se me saio bem…obrigada por seu conteúdo maraaaa! Um bjo pra vc, bia e Leo.

  60. por Luisa
    em 10.01.2016 às 20:56

    Lu, não sou muito de comentar, mas me identifiquei com este post. Neste ano mudei de profissão (de jornalista para advogada) e tive que mudar meu armário INTEIRO por conta do dress code de trabalho. Foi ótimo para eu poder refletir sobre o que eu gostava e o que não gostava de usar. No fim, montei um armário de trabalho sem peças estampadas e com 4 cores: preto, branco, azul marinho e cinza. Percebi que por mais que eu ache bonito usar cores e estampas florais, essas peças acabam me enjoando e uso sempre as mesmas. Tenho alguns vestidos estampados de verão ainda, mas o resto são só peças lisas em cores clássicas. Não estou sentindo falta de nada.

  61. por Aline
    em 11.01.2016 às 08:20

    Lu amei o post, achei que só eu tinha problemas com isso!!! Sabe que para mim, as definições dos estilos ainda é difícil. Tem dia que gosto de uma coisa e tem dia que gosto de outra.
    Mas reunir coisas e analisar (por imagens) é melhor do que comprar coisas e analisar depois.
    Eu já comecei a limpeza em casa, e tenho certeza que esse post já me inspirou a melhorar várias coisas aqui.
    Um beijão

  62. por Luísa do Valle
    em 11.01.2016 às 10:10

    Muito carinha de Marie Kondo essa resolução, hei, Lu? Já leu o livro dela? Recomendo MUITO!
    Beijinhos

  63. por Andréia Assunção
    em 11.01.2016 às 12:27

    Cheguei a achar que só eu tinha esse tipo de problema!!! kkk Ainda bem que não. #tamojunto Mas a verdade é que é realmente difícil achar coisas que me emocionem e caibam no meu parco orçamento. Quantas vezes já falei para mim mesma que não vou comprar coisas baratinhas e basiquinhas, que vou investir apenas em peças que eu realmente goste e, no fim, achei tudo super caro e corri para as mesmas peças de sempre. Daí o guarda-roupas fica lotado, mas com peças que não tenho prazer nenhum em usar. Também costumo “fazer limpas” e tal. Mas o melhor mesmo é pagar pelo que realmente me cativou e usar até rasgar (kkk). Você acabou de me ajudar a tomar uma resolução para este ano que se iniciou. Não é uma meta nova, mas vou tentar me cobrar mais para cumpri-la.

  64. por Gisleine
    em 11.01.2016 às 21:10

    Oi , Lu
    Estou nessa fazer faz um tempo , o problema é que tenho dificuldade para desapegar , mas parece engraçado ,depois que virei mãe parece que isso despertou em mim , sabe sou a mesma porém algo mudou . Ou agora veio a coragem pra mudar , te adoro lu 😘

  65. por marta-josefa martin gonzalez
    em 12.01.2016 às 02:50

    UNA PRECIOSIDAD, TODAS LAS COSAS SON MUY LINDAS.

  66. por Bessie B
    em 12.01.2016 às 19:28

    Lu, super te entendo! Notei que tinha essa tendência de comprar apressadamente e acabava com peças mofando no armário. Abri os olhos faz pouco. Minha desculpa é que vim de uma família “humilde” e ficava pensando mais na necessidade do que na estética da peça. Já comprei tanto calçado, vestido, blusas que não tem nada a ver comigo só pra comprar rápido e sentir menor culpa de consumir, mas no fim nunca deu certo. Por coincidência também não me sinto bem com estampas, florais e roupas muito fofas. Desde o meio do ano passado tenho namorado estilos no Pinterest antes de sair às compras pra não errar e tem funcionado. Boa sorte pra ti ❤️ Ficarei ansiosa pelos novos looks :)

  67. por Caroline
    em 12.01.2016 às 23:16

    Boa! Em suma: você está numa vibe neutra. Nada mais inteligente, eu acho. As roupas que mais uso no guarda-roupas são os jeans e as blusas de cores diversas, mas lisas e com modelagens, decotes e tecidos diferentes. Combinam com tudo e dá pra usar mais sem cair no desgaste. Agora que me dei conta, quando vou lavar minhas camisas (a mão né..) vejo minha coleção aumentando. Algumas já andam até velhinhas, coitadas. Pra comprar estampa tenho de gostar muito e tem de ser no tecido mesmo, de preferência nele todo.

    Legal também é comprar tecidos diferentes e pedir pra fazer com uma (boa) modelista. Vestido é bom porque pode fazer sem estampa e usar dois tecidos lisos pra dar uma textura, tal.

  68. por Cibele Porto
    em 13.01.2016 às 07:36

    Ahhh Lu, acho que todas nós estamos no mesmo grupo. A gente sempre compra por empolgação né?! porque ficou é bonito, porque tá na moda, porque a gente quer uma peça nova, e asim vai. eu acho interessante que de tempos em tempos a gente muda o gosto e o que era super legal pra gente, já não é mais. Eu também estou nessa fase de me desfazer de algumas peças. Entrei na casa dos 30. Meu lado “moça romantica” parece que tá crescendo. Ultimamente, quando eu vou comprar uma peça eu penso comigo: Eu quero ou eu preciso? Posso comprar (eu e meu marido estamos salvando dinheiro pra comprar nossa casa!)?

    Com essa mudança de gosto e as últimas limpezas no armário eu passei a fazer lista do que quero repor ou trocar e acabo checando essa lista quando saio pra fazer compras. Então, sugiro que vc salve essas informações no celular. Fica facil decidir quando a gente fica balançada, sabe?!

    Pra mim, esses passos “pré-compra” tem funcionado muito. Na maioria das vezes, eu acabo deixando a peça na loja! hahaaha

    Beijos Lu!

  69. por Karoline Berrondo
    em 13.01.2016 às 10:58

    Lu, sua linda, mais um post que me encantou e me inspirou. Tenho a mesma ideia de estilo que você e você simplesmente deu as dicas que eu precisava para minha renovação. A meta do ano é essa! :) Foco no amor a primeira, segunda e terceira vista pela mesma peça <3 haha Te adoro, Lu!

  70. por Andreza
    em 13.01.2016 às 11:15

    Lu, aproveitando, faz um post sobre seu curso no Marangoni e como ele te ajudou na busca do seu estilo?

    Beijos!

  71. por Gizelle Brito
    em 13.01.2016 às 16:18

    Lu, quanta verdade!! kk eu realmente preciso pensar antes de comprar roupas. Sempre compro para alguma ocasião específica e não uso nunca mais, pq depois não acho que é tão legal assim… Vou seguir suas dicas e tentar focar mais no que realmente me agrada pra poder usar e gostar sempre da peça. Bjos linda. Obrigada mais uma vez.

  72. por Aline
    em 15.01.2016 às 04:33

    Amei a ideia, nunca tinha pensado nisso. Decidi seguir seu modelo e criar minhas resoluções também, acho que vai me ajudar muito a saber o que estou procurando quando for comprar alguma roupa. Muito obrigadaaaa <3

  73. por Catia Campos Onyemah
    em 17.01.2016 às 05:56

    Nossa exatamente eu…rs eu também não curto estampas nunca gostei. O estilo minimalista tem muito mais a ver comigo. E eu fiz essa limpeza no meu armário ano passado. Cada vez mais dou preferência a comprar aquilo que realmente gosto mesmo que seja bem mais caro, porque sei que vou usar. Beijinhos (da portuga que vive no Chipre que te acompanha desde o início do blog, através de uma amiga de Belo Horizonte que divulgou seu blog )

  74. por Lívia Santiago
    em 18.01.2016 às 20:31

    Também estou revendo todo o meu armário. Mas estou fazendo essa avaliação do armário por estações, porque não tenho estrutura pra olhar tudo de uma vez kkkk. É quase uma redescoberta, de querer ver o espelho transmitir a imagem que representa quem eu realmente sou.

    E vou te falar uma coisa: me surpreendi positivamente com a quantidade de peças, achei que tinha muito mais! Claro que essa conta foi depois da “limpa” (#abafa) mas ainda tenho alguns desapegos pra fazer até o fim do verão. Me aguarde, Enjoei!

    O lado negativo: só tenho roupas pretas, brancas, cinzas, azul escuras e listradas nas mesmas cores acima, salvo raras exceções. E jeans, claro. Boring, mas sou eu. Minimalista, mas feliz!

    Aaaaaah, e eu amooooo estampas geométricas, principalmente o que chamam de “gravataria”. Mas é tão difícil achar algo que eu realmente ame… Quando acho, não tem meu número. Mas vou me divertindo nesse processo de redescoberta da minha identidade visual!

  75. por Juliana de Paula
    em 22.01.2016 às 11:43

    Lu eu quero mudar! Depois de viajar para a Europa e ver que lá menos é mais me apaixonei. Curto muito o estilo minimalista, cores preto, branco e cinza, alfaiataria, etc.
    Tem alguns perfis que sigo no IG como @stay.simple, @seenbysaar, @minimalis_oficial_ e mais uns outros que não lembro.
    Quero adotar em 2016!
    bjs

  76. por Helena Merlo
    em 26.01.2016 às 09:29

    Estive um tempo de férias e estou relendo os posts que não vi nos últimos dias, por isso esse comentário com 1 mês de atraso. kkkkkkk. Gosto muito dos seus textos, e sua forma de pensar Lú. Quando li esse não pude deixar de lembra de Mari Kondo e seu livro “A mágica da arrumação” (http://www.saraiva.com.br/a-magica-da-arrumacao-a-arte-japonesa-de-colocar-ordem-na-sua-casa-e-na-sua-vida-8874286.html).
    Conheci esse livro através de outra querida da internet, Jout Jout. Sou daqueles com um mini preconceito de autoajuda, mas como é mini e eu amo organizar, comprei o livro e fui ler. Ele é muito legal, sério, mudou minha forma de pensar organização e consumo, de verdade, vale mesmo a leitura, eu que não sou youtuber quis fazer um vídeo só pra que mais pessoas pudessem saber dele.
    Lembrei dele, porque você diz: “comprar apenas o que eu AME” e exatamente o Mari Kondo pensa sobre organização, estar rodeada de coisas que você ama em sua casa. Ao descartar ela diz “segure a peça (qualquer item que seja) e pergunte se você realmente ama aquele objeto”, e esse é o critério de o que deve ficar e sair.
    Achei muito legal e prático de certa forma. Além de uma energia positiva você ter uma casa que só tenha o que vc realmente AME de verdade. Fica da dica da leitura. Bjss

Post AnteriorPróximo Post