Gravidez e maternidade

5 dicas para a introdução alimentar do seu bebê

Muita gente me pede posts e videos contando sobre a introdução alimentar da Bia, mas o processo anda um pouco devagar por aqui. Dei sorte de encontrar uma nutricionista especializada em nutrição infantil, a Letícia, com quem me identifiquei muito e que começou conosco um trabalho de acompanhamento que eu espero que traga ótimos resultados =D
Como sei que é um tema que interessa a muitas mães, pedi pra ela dar cinco dicas gerais que possam ajudar nessa fase:
nutri
1 – Variedade e sabor
Ofereça a maior variedade de alimentos naturais possível para seu bebê, principalmente de frutas e verduras, mesmo aqueles alimentos que não são comuns ao consumo da família. Pode ser que ele não tenha o mesmo paladar que o seu, né?
A apresentação e sabor são importantes sim. Não precisa se nortear pelo seu gosto apenas, mais uma vez, o paladar da criança está em construção, por isso os temperos naturais e ervas frescas são super aliados. Não se preocupe em adoçar ou salgar os alimentos, bebês não conhecem e nem precisam viciar nesses sabores como nós.
Ninguém quer comer todo dia comida com a mesma cor e textura não é mesmo? Os bebês não são diferentes. Mude a apresentação, não misture os sabores e aromas, deixe ele conhecer um por um.

2 – A hora da refeição deve ser um momento agradável
Disponha de algum tempo e paciência para as refeições principais com a criança, deixe seu filho pegar, amassar, cheirar, provar e criar um intimidade com o alimento. Você pode ajudá-lo com uma colher enquanto ele se distrai com a comida, mas não use brinquedos, tv ou tablets como distração.
Não force seu filho a comer, não faça desse momento estressante e cansativo, não ofereça bônus (se comer tudo, ganha um carrinho”), isso pode deixar a criança com uma relação ruim com a alimentação. Lembre-se que odo mundo tem dias com mais e menos apetite! Alimentar é uma atividade que faz parte das nossas necessidades diárias, como tomar banho, ir para a escolinha, trocar fraldas, brincar…

3 – Coloque a mão na massa
Aproveite o momento para criar hábitos mais saudáveis em toda a família, o exemplo é a melhor forma educação para filhos. Eles imitam os pais em tudo!
Crie uma rotina alimentar para a casa, organize um cardápio e corra pro google atrás de receitinhas diferentes (procure indicações de sites e receitas confiáveis!). Pode ser muito prazeroso fazer uma receita que agrade a todos os membros da família!
Existem pessoas que não gostam de cozinha, que não levam jeito, que não têm tempo, mas precisamos nos alimentar, não é mesmo? Por isso, procure preparações fáceis, rápidas e saudáveis. É só uma questão de adaptação e rotina, como tudo na vida. Rapidinho você já estará criando suas próprias receitas e ainda poderá envolver seu filho no processo quando ele crescer um pouquinho. Tem coisa melhor do que lembrar do “bolo da minha mãe”? E aquele cheirinho que fica em casa?! Hummmm!

4 – Seja radical!
Pois é, muitas pessoas vão te classificar assim, como radical. Bebês menores de 2 anos não podem e não devem comer açúcar, de jeito nenhum. Também não precisam de sódio, corantes e aditivos presentes nos industrializados em geral (sucos de caixinha, iogurtes industrializados, biscoitos, chocolates, refrigerantes, sorvetes, achocolatados, farinhas de mingau, salsicha, nuggets, bolinho do personagem infantil). Aprenda a ler rótulos e excluir tudo isso da vida do seu bebê. São alimentos sem nutrientes, que atrapalham a construção do paladar, promovem uma falsa sensação de saciedade e ainda atrapalham a absorção dos nutrientes. A maioria tem a errada sensação de que são coisas de crianças e que elas precisam comer isso na infância, mas criança precisa mesmo é de nutrientes para atingir o melhor desenvolvimento físico e intelectual.  Aproveite enquanto seu filho não sabe pedir e abuse dos alimentos naturais.

5 –  Ofereça água
Lembre-se que as crianças necessitam de todos os grupos de alimentos na sua dieta, assim como nós. Tubérculos, cereais, frutas, vegetais, verduras, legumes, grãos, sementes, oleaginosas, fonte proteica ( que não precisa ser apenas animal), precisam estar incluídas de forma balanceada e com as devidas adaptações na rotina alimentar do bebê. Nos intervalos das refeições é importante oferecer água para seu bebê. É muito comum a prisão de ventre no período de introdução alimentar, procure um nutricionista pra auxiliar nas individualidades alimentares do seu filho.

Essas são algumas dicas da Letícia para a introdução alimentar do seu filho, mas lembre-se que nenhuma delas é regra, por isso é importante ter o acompanhamento de um nutricionista especializado no assunto para tratar de todas as individualidades do seu filho e da sua família.

Assim que tivermos algum progresso por aqui venho dividir a minha experiência ;D

Comentários:
  1. por Debora
    em 08.07.2016 às 08:31

    Olá Chata

    Amei esse post pá tenho um bebê com 2 meses de diferença da Bia, estou nessa fase de introduzir alimentos por ter que retornar ao trabalho e sempre rola muitas dúvidas. Gostei das dicas principalmente da água com relação à prisão de ventre pois ninguém havia mencionado pra mim.
    Gostaria que você falasse também a respeito da cadeirinha de alimentação da Chicco que você comprou, achou que está sendo pratica, a Bia se adaptou a ela, ou não está achando tão funcional? Preciso adiquirir uma e como sempre rolando dúvidas de.
    Obrigada por sempre compartilhar conosco suas aventuras.
    Bijus
    De

    • Lu Ferreira
      respondeu em 08.07.2016:

      Debora, acho que vc se confundiu! Minha cadeirinha não é Chicco, é Safety First! AMO o modelo, por sinal, mas penso que talvez vc tenha me confudido com outra blogueira =)

  2. por Flavia
    em 08.07.2016 às 08:47

    Oi Lu!
    Aqui tb estanos na luta da introdução alimentar!
    Uma vez de vi snap falando sobre papinhas organicas que recebeu. De onde eram? Já procurei aqui em BH e não achei.
    Obrigada! Bjo

    • Lu Ferreira
      respondeu em 08.07.2016:

      Flavia, a empresa chama Le Petit Chef! Bia gostou!

  3. por Talita Rodrigues Nunes
    em 08.07.2016 às 10:03

    São dicas valiosas mesmo! Eu não sou super radical, mas me preocupo sim em oferecer uma alimentação saudável para o filhote.
    Já que tem gente pedindo ajuda nesse assunto, vou deixar um texto que escrevi (ponto de vista de uma mãe, não de um nutri):
    http://somelhora.com.br/index.php/2015/11/05/sexto-mes-do-bebe-papinhas/

  4. por Pollyana
    em 08.07.2016 às 10:18

    Lu,
    Ontem vi uma matéria no jornal sobre alimentação de bebês. A matéria mostrava algumas mães que davam comidas cruas ou pouco cozinhas (cenoura crua ralada, brócolis cozinho…) e deixava a criança comer com a própria mãozinha. Isso faz uma verdadeira lambança, mas acho que é uma opção bem legal. Eles descobrem como comer, o que gostam, desenvolvem a coordenação motora.. E quando fizemos isso com meu afilhado percebemos que ele come bem mais! Não sei se dá pra fazer com bebês bem pequenos…

    bjs!

  5. por ZILANDRA BATISTA RODRIGUES
    em 08.07.2016 às 11:01

    Com certeza ajudara muitas maes que esta na mesma fase que a sua com a Bia
    Bjs Lu Lindona

  6. por Sheila Medeiros
    em 08.07.2016 às 11:06

    A introdução alimentar foi uma das coisas mais difíceis pelo qual passei, e passo até hoje, com meu filho (16 meses). Oferecer o alimento pra que ela coma com as mãos também é uma boa dica, Lu (o tal do BLW). No Instagram tem uns perfis que me inspiram (@bb_blw e @blwdopedro). No Youtube, a nutricionista do Prapapa dá dicas super bacanas de receitas saudáveis para bebês (amo). Boa sorte!

    • Lu Ferreira
      respondeu em 08.07.2016:

      Adoro esse canal!! =D

  7. por Lívia
    em 08.07.2016 às 11:42

    Lu, a Bia ainda está mamando no peito? Como vc faz quando viaja? Bjs

  8. por Anna Paula Meireles Nunes
    em 08.07.2016 às 11:52

    Assim que der, um vídeo sobre a introdução alimentar seria de grande valia. É um tópico de muitas dúvidas entre as mamães e as que pensam em ter filhos, meu caso.
    As dicas da nutricionista foram bem interessantes, super concordo com o que ela falou, principalmente a parte de ser radical. Isso envolve a saúde de um ser que queremos apenas o bem, então se for para ser chamada de chata, má ou coisa parecida, como já aconteceu comigo por não dar chocolate para meu sobrinho, não me importo, minha consciência estará tranquila em relação ao meu ato.

    Beijos Lu, Léo e Bia, vocês alegram minhas semanas.

  9. por Letícia Maria de Carvalho Ramos
    em 08.07.2016 às 18:02

    Oi, Lu, tudo bem?
    Adorei esse seu post sobre alimentação! Pretendo ter filhos e super concordo com esse tipo de alimentação.
    Acho muito bacana ver que outras pessoas pensam assim e não vivem naquele pensamento de que é criança tem que experimentar. Uma boa educação alimentar enquanto pequenos tornará desnecessária uma reeducação mais pra frente.

    A propósito, a Bia é a coisa mais linda desse mundo. O coração não aguenta tanta fofurice! Tenho certeza de que você e o Léo são os melhores pais que ela poderia ter assim como ela foi escolhida pra ser a filha de vocês para que pudessem e possam aprender cada vez mais com ela.

    Adoro seu blog e seu canal. Acompanho sempre!

    Um beijão!

  10. por Letícia oliveira
    em 09.07.2016 às 08:36

    Obrigada pelo carinho Lu! Adorei o post! Vamos evoluir sim de pouquinho em pouquimho com a bia buchechuda gostosinha! Beijos

  11. por Ana Carolina
    em 10.07.2016 às 06:45

    Adorei o post Lu!

    É trabalhoso oferecer tudo natural e variado, mas vale muito à pena!

    Meu filho passou por fases de não comer nada e agora come tudo que vê pela frente, é uma delícia ver ele feliz da vida comendo berinjela. E eu fiquei achando que ele não ia gostar. Mas sempre tem uma fase mais difícil, um dente nascendo… milho sempre ajuda quando vem dente, entrego na mão dele um pedacinho e ele se rói tudinho, foi uma grande descoberta. Mas também não sou radical, quando viajamos ou saímos compramos papinhas ou smothies, facilitam muito, o bom é que aqui onde moro tudo para bebês é orgânico.

    Mas o mais difícil é convencer avós de que não podemos dar açúcar ou outras coisas que se davam antigamente. E ainda ouvir “sua mãe é muito radical, na casa da vovó pode tudo”. Difícil, como se nós tivéssemos errados.

    A Bia é muito fofa, a família toda aliás, adoro acompanhar vocês. Beijos!

  12. por Beatriz Cordeiro
    em 10.07.2016 às 13:27

    Luuuuu, como fiquei feliz de ver um post assim aqui! Sou pediatra e é bem assim que ensino meus pequenos.:))))
    Sou bem tradicional e super adepta do BLW, Bia faz? Aqui em casa minha sobrinha (3,5anos) e afilhada (1 ano) seguiram a risca e comem de tu-do, até quando estão doentes… Tomara que Bia seja assim boa boca tb!
    Apareça sempre no Errejota!

  13. por GAbriela
    em 11.07.2016 às 13:48

    Oi Lu! Eu lembro de ver no seu snap gravando a bia provando papinha pela primeira vez. Você vai postar para nós no youtube?
    Um beeeeijo

  14. por Carla Torres
    em 11.07.2016 às 17:06

    Oi Lu, primeiramente a Bia é uma fofa… Admiro muito sua família!
    Lu tenho uma filhota de 5 anos, sei que a idade não corresponde ao período que a Baby Bia está. Mas gostaria de pedir, se possível, sua nutri indicar uma forma de tentar salvar a alimentação dela.
    Quando Baby Julia tinha 6 meses, fiz diversas papinhas, e era tudo bem aceito.
    Ela foi pra escolinha com 6 meses, pois voltei a trabalhar. Depois disso, pouca coisa ela aceita. Hoje então, não aceita nada verde, come pouquíssimos legumes, e detesta carne… Só quer comer peixe.
    Estou desesperada, se puder me ajudar!

    Um grande beijo!!!

  15. por GIsele RAmon
    em 12.07.2016 às 09:59

    Quando tive meu primeiro filho, até a papinha era eu quem fazia, para evitar alimentos industrializados.
    Agora, quase dez anos depois, estou grávida novamente e espero ter o mesmo pique para fazer tudo, faz toda a diferença.
    Adorei o post.
    Beijos
    http://www.estilogisele.com.br

  16. por Mônica Estevam
    em 28.12.2016 às 21:22

    Olá Lu estou na mesma que vc minha Beatriz de 8 meses come mais pouco ela está dentro do peso que era para está na idade dela mas fico no sufoco para ela comer….
    Estas dica só reforçou o que eu penso….
    Bjos amo o seu trabalho….

Post AnteriorPróximo Post