Beleza

Pincel… de corpo?


Acho que nunca falei dele por aqui, mas o meu pincel maiiiiiis macio, mais delícia de todos, é também o que menos uso, heheh… É esse kabuki gigante da Illamasqua, que tenho deve ter quase um ano já… Ele é um kabuki para o corpo, e eu super não ia saber pra quê ter um desses se na época não tivesse ganhado também um iluminador da marca, que eles ensinam a usar no corpo, aplicando com o tal kabukão.

Eu sou bem branquela, então adotei logo a ideia de usar iluminador no corpo, aí ofusco de vez todo mundo, branca e reluzente, hahahaha! Brincadeira, nem fica assim. Fica um efeito bem sutil, na verdade, o iluminador deles é bem fininho, não fica aquela coisa BRILHO, sabe? O efeito é de pele bem cuidada, hidratada, enfim, fica mais bonito mesmo! Uso no colo, quando o decote pede, e nas pernas, quando estou de saia ou short.
E pra completar minha coleção, chegou esses dias o Body Brush da Sigma, que é ainda maior que o da Illamasqua!

Olha como é enorme!! E pra ficar ainda mais extravagante, a parte de metal é folheada a ouro, thá?? Ele também é super macio, e dá pra usar pra fazer a mesma coisa, mas fiquei com peninha de sujar as cerdas branquinhas dele..! Imagina lavar um pincel desse tamanho o tempo todo?? Uma semana pra secar, ahahaha!
Os dois são pincéis mais caros que o normal: o da Illamasqua sai por 39 libras e o da Sigma, 42 dólares. Tem que pensar bem, né? Mas ó, se estiver sem ideias pra presentear a amiga que ama maquiagem, taí uma ideia boa, porque muito provavelmente ela não vai ter nenhum pincel desse tipo!

Compras

Queria tudo (mesmo!)


Quem me segue no twitter (oiiii, @luferreira!) já deve ter visto as minhas lamentações com o excesso de e-mails que recebo. Já desisti de zerar a inbox, e agora fico satisfeita quando tenho menos de 100 pra responder… E no meio de contatos de leitoras, bate papos com amigas e tudo o mais que chega pra gente, chegam também os tais releases, que as assessorias enviam toooodos os dias, contando as novidades de seus clientes…

Então, não sou fã do negócio, sabe… Vem muita coisa que não tem nada a ver com o blog, texto estranho, sugestão de notinha micada, e né, fazer post de release, sem nem ver a coisa que está sendo anunciada… Meio esquisito, não é sempre que funciona… Mas de vez em quando chega alguma coisa legal, tipo a apresentação dessa loja, a Kerotudo.
Cliquei pra ver porque o email era simples, simpático e direto, e dizia que era uma nova loja de artigos de design. Bem, eu sou designer, fiquei curiosa.

E achei bem fofa =D Tem adesivos de parede bem bonitos (tinha tempos que não entrava em sites disso pra ver, mas achei esses diferentes do comum), camisetas, bottons (isso é super de designer, mas nunca me pegou) e objetos fofinhos, tipo o chaveiro de passarinho e o cadeado em forma de coração. Fiquei com muita vontade de comprar um adesivo, tô com uma parede mega vazia aqui em casa desde que mudei!

Beleza, Do Outro Lado

Do outro lado: máscara “falsificada” e loção verdadeira

Aqui na China eu vejo muitos produtos diferentes que não encontro no Brasil, mas tenho uma dificuldade muito grande de descobrir para quê servem as coisas… Fora o fato de estarem escritas em caracteres chineses, as embalagens dos produtos locais seguem o padrão de design oriental, oposto do ocidental minimalista: muita informação em pouco espaço, milhares de coisas escritas, fontes e cores diferentes juntas. Então tem horas (tá, toda hora) que eu não sei nem por onde começar a procurar as palavras no dicionário e acabo optando por coisas conhecidas ou que tenham o texto em inglês mesmo!

Por exemplo: estou há tempos tentando experimentar as máscaras faciais daqui, e, por conta da minha ignorância, outro dia comprei uma “falsificada”. Coloquei entre aspas porque ela não é falsificada mesmo, só tem o design da embalagem copiado, mesmas cores e logo parecido, mas o texto é diferente, e se eu soubesse ler as letrinhas, seria óbvio! A marca original, chamada Hada Labo, é bem famosa no Japão e achei a máscara “inspired” muito barata, algo em torno de R$0,50 (vi a original na mesma loja depois por uns R$17), e ainda tinha um escritinho em inglês atraente: “equivalente a 8 copos de água”!
O mais engraçado da experiência foi que achei a enganação totalmente desnecessária porque a tal máscara é ótima, fiquei com a sensação de pele boa, de quem realmente bebe 8 copos de água por dia, sabe? Até acho que ajudou a melhorar a oleosidade da minha pele, mas eu ainda preciso fazer o teste no verão (calor barango!) pra ter certeza.

Ao invés de comprar uma máscara não-falsificada, resolvi comprar uma loção da Hada Labo pra testar. Eu já tinha lido que deste lado do mundo os produtos chamados de loção são diferentes e pude comprovar que esse é um deles: é um líquido um pouco mais viscoso e grudento que o nosso tônico de limpeza e que serve de “alimento” pra pele. Aliás, acho esse conceito de produto de beleza “alimentar” tão diferente, mas aqui parece ser normal, tem até uma marca coreana bem famosinha chamada Skin Food (comida pra pele, hehehe).
Pra usar a loção, tem um truque que aprendi procurando vídeos no Youtube:

Primeiro, depois de lavar o rosto, pingo umas gotinhas (poucas, no máximo 4) na palma da mão e espalho na outra. Depois, passo as mãos no rosto pra espalhar o produto (aviso: fica parecendo melecado e que não vai dar certo, mas dá). Pra finalizar, a grande dica: dou batidinhas até o líquido secar (a marca até tem um jeito específico de dar essas batidinhas, olha no vídeo!). No início parece que não vai secar nunca, mas é rapidinho e a pele não fica oleosa, pelo contrário, a loção deixa um efeito matte e tá pronta pra aplicar o hidratante.
Eu gostei tanto do efeito da loção que comecei a usar também nas mãos e nos pés, faz milagres instantâneos nas cutículas que estavam tão ressecadas do frio e de ter que pôr e tirar luva toda hora.
Acho que é um produto diferente e com preço bom pra comprar pela Ásia (e arredores, na Austrália dizem que também tem, alguém confirma?). O frasco com 170ml na China custa em torno de R$20-25 e tem pra vender em lojas de cosméticos e farmácias tipo Watsons, Sasa e Mannings. Alguém já conhecia?