Carregando...
Lifestyle

Magra ou forte?

03.07.2017
Lu Ferreira

Toda vez que eu cismava de entrar em uma academia passava por aquela tortura chamada avaliação física. Como se precisasse de alguém apontando o que me incomodava no meu corpo, né? Mas uma coisa que também acontece nessas avaliações é o questionamento: “Qual o seu objetivo com a academia?”. Passei a vida toda respondendo: “emagrecer”. Nunca aceitei meu corpo por conta dos traumas da infância, onde era um pouco maior que as outras meninas (eu nunca fui gorda de verdade, mas sempre cheinha, sabem como?) e rolava aquele bullying infantil (que na época não tinha esse nome) horroroso.

Um dia essa resposta mudou. Disse que meu objetivo era ser frequente na academia. Não me lembro porque respondi isso, talvez estivesse cansada de recomeçar a tal academia a cada seis meses… Mas foi só a partir daí que minha relação com o exercício mudou e eu passei a odiar um pouco menos (e até a gostar de algumas partes). Foi aí que comecei a curtir musculação, a achar estimulante aumentar os pesos e a entender que a dor muscular que eu tanto lutava contra era necessária e sinal de que estava trabalhando meu corpo. Cheguei inclusive a curtir corrida, coisa que NUNCA imaginei que aconteceria. Óbvio que acabei emagrecendo.

Eu consegui ser mais frequente na academia e por cerca de dois anos e meio treinava cerca de 3 vezes por semana, às vezes mais. Até que fiquei grávida e meu personal se mudou. Eu não malhei quase nada durante a minha gravidez (não encontrei ninguém que gostasse para me acompanhar e sinceramente morria de preguiça) e foi só uns 10 meses depois do parto que voltei a me exercitar de verdade, ou seja, eu estava BEM fora de forma. Me cansava por qualquer coisa, tudo era pesado, me sentia sem energia.

Esses dias, depois de cerca de sete meses treinando direito, viajei sozinha e resolvi levar só minha mala de mão. Ela devia estar exatamente com os tais dez quilos permitidos pela companhia, e na hora de colocar no bagageiro eu nem titubeei. Gente, vocês têm noção do quanto é poderoso se sentir forte?

Eu já me senti magra. Já pesei 6 quilos a menos do que peso hoje, já vesti 34 depois de adulta e claro que eu gostava, sempre foi o meu objetivo e é meu trauma de infância. Mas se sentir magra não é nem de longe tão incrível quanto se sentir forte! Saí do avião andando toda ereta, rápida, confiante. Ouvindo música no fone de ouvido bem alto e me sentindo como se tivesse ganhado um concurso de fisiculturismo (e ainda mais feliz porque não precisei pedir ajuda a nenhum dos homens que estavam no avião e não se mexeram nem pra abrir espaço na hora que fui pegar minhas coisas).

Se hoje fosse fazer uma avaliação dessas, diria que meu objetivo é me sentir forte. Forte para poder brincar com minha filha, para ter energia depois de um dia cansativo, para continuar minha rotina puxada até quando eu decidir que é hora de parar, para ser saudável e não sofrer com meus problemas de coluna. Acho difícil que o fantasma da auto imagem me deixe parar de sempre desejar ser mais magra, mas considero um avanço me sentir bem com meu corpo apesar disso. Pelo menos estou no caminho certo, né?

Qual o seu objetivo ao exercitar o seu corpo?

52 Comentários  |  Deixar Comentários

Comentários:
  1. Caroline    03/07/2017 - 09h28

    Parabéns pelo texto, Lu. Tbm me sinto assim e qnd minha bebê crescer mais tbm pretendo me exercitar e vou dar essa mesma resposta na avaliação Kkkk #preciso

  2. Sandra    03/07/2017 - 09h48

    … meu objetivo no momento é emagrecer, mas estou a quase 2 meses na academia (sei, é pouco, mas comecei e nunca faltei um dia) me sinto muito bem em sentir se com energia para uma longa caminhada, ou mesmo conseguir fazer exercicios que no primeiro dia de academia eram impossíveis. O progresso e resultado de uma dieta balanceada combinada com atividade física é algo tão prazeroso, faz tão bem… pena que demorei a descobrir isto. Ah, e amei o bolo de banana da Bia (rsrsrs), faço todas as semanas.

  3. Luciana    03/07/2017 - 10h42

    Meu objetivo quando me exercito é me sentir feliz. Pode parecer clichê, mas é verdade.
    Sempre fui magra, e depois de um tratamento de saúde engordei bastante. Já fiz exercício pra emagrecer (e emagreci), já fiz exercício pra ganhar músculo (que eu acho que é diferente de me sentir forte, porque não me sentia assim nessa época), hoje eu faço por diversão.
    Nunca tive problemas com a frequência, porque mesmo não amando a academia, eu sou disciplinada. Mas a verdade é que nos tempos de musculação eu sentia muita felicidade nos resultados, em emagrecer, em ver um musculinho na perna aparecendo… Não sentia prazer no exercício em si (só correndo e subindo escada, kkk)
    Aí eu descobri o funcional. E tudo mudou.
    Eu AMO! Só falto em caso de morte iminente, tipo se tiver muito doente. Se tiver só um pouco doente eu vou e pego mais leve, kkk.
    Lá as atividades são variadas, divertidas e em grupos. A gente malha junto e se apoia… É muito bom. E às vezes quando eu chego lá com preguicinha, ou to quase desistindo na última corrida, vem uma amiga e fala: “Vamos! Tá acabando… Vamos juntas que você consegue!”
    E isso pra mim é maravilhoso… A energia de me exercitar em grupo, ao ar livre, fazendo uma coisa diferente a cada dia, mudou MUITO a minha relação com a atividade física.
    E ainda tenho resultados. Não só físicos, mas nos desafios que os professores nos propõem.
    É muito massa o dia que a gente consegue fazer uma flexão que seja sem o joelho no chão. Uma coisa que eu nunca achei que faria e que de repente vai. Dá uma sensação de que a gente pode tudo, kkk.

    Não estou na fase mais magra da vida, mas nem ligo.
    Hoje eu me sinto forte, resistente e feliz.
    Acho que a chave é achar a atividade certa.

  4. Débora Ribeiro Martins    03/07/2017 - 10h47

    Oi, Lu! Gostei do texto, confesso que ainda tenho esse pensamento de querer ser magra, mas ao mesmo tempo não faço nada para isso, mantenho o meu peso atualmente, mas há alguns anos pesava 5 quilos a menos, que diferença! Vou tentar seguir esses seus pensamentos pra ver se me animo com as atividades físicas kkkkk beijos!

  5. Bruna    03/07/2017 - 11h13

    Lu, já te acompanho há muito tempo e simplesmente AMO esses textos bem genuínos, em primeira pessoa no melhor sentido da expressão. Faço crossfit há alguns anos e apesar de não ter tido aquele progresso meteórico que a maioria das pessoas tem nesse esporte, me sinto muito melhor fazendo tarefas do dia a dia. Se um dia eu precisar pular um muro, correr de alguém, levantar algo pesado (oi, malas), empurrar um móvel, subir numa corda, sei que vou conseguir. Não emagreci horrores praticando crossfit, mas sinto exatamente o que vc disse no texto, que meu corpo está mais forte e mais disposto pra fazer as coisas que o dia a dia exige. Beijos!! (Espero que vc venha pra Brasília no tour do livro!!)

  6. Veronica    03/07/2017 - 11h39

    Lu, sou um pouco parecida com vc nesse sentido… Sempre sofri com efeito sanfona e hoje não estou magra nem gorda, estou ok. Meu objetivo tb sempre foi ser magra! E pra nós que somos mais baixa (na vdd, sou mais baixa que vc e temos a mesma idade) qualquer quilinho a mais faz uma diferença… aff.. que saco
    Mas o fato é que sofro de fibromialgia (uma doença crônica, sem cura, que consiste resumidamente em sentir dores musculares muito fortes, ser mais sensível à dores que a média das pessoas). Nos últimos tempos, não estava conseguindo fazer as coisas mais elementares… pegar sacolas de compras, estender roupas… até que estou malhando com personal (ainda não pego peso, mas fazemos exerícios usando meu próprio peso do corpo e com algumas técnicas de pilates) e, bem, viajei pra BSB a trabalho dia desses e tb coloquei minha mala sozinha no bagageiro… Sério…

  7. Veronica    03/07/2017 - 11h41

    continuando… que eu dei enter sem querer… QUE SENSAÇÃO BOA DE SER INDEPENDENTE! Viajar sem meu marido e não pedir ajuda pra ng (não que isso seja um problema, acho que vc me entendeu…). Penso em ser mãe daqui a pouco e realmente meu objetivo é ter força pra carregar meu filho no colo e todas as tralhas que envolvem um bebê… Realmente dá uma sensação de girl power mesmo… Entendo vc perfeitamente… Parabén s e vamos que vamos… Bjs :)

  8. Lorraine Faria    03/07/2017 - 12h27

    É exatamente isso que eu penso e pra isso que me matriculei na academia. Quero ficar mais forte e ter menos dores de coluna (minha fisioterapeuta disse que minha musculatura tava uó de tão fraca, por isso tantas dores nas costas)! Força pra gente Lu!!!

  9. Samua    03/07/2017 - 12h37

    Oi Lu! Eu sofro igual a você, nunca fui gorda, mas meu objetivo na academia sempre foi emagrecer, meu marido fala, Sâmua tem 12 anos que te conheço e vc sempre quer emagrecer e sempre está de dieta. Aquilo ficou na minha cabeça. Até que eu parei pra pensar e na última avaliação minha frase mudou, meu objetivo é ser saudável e forte. Aceitei meu biótipo e sei que pra ser magra como eu gostaria teria que abrir mão de muitas coisas, como vc disse o medo do fantasma de gorda sempre me persegue tb, mas minha auto aceitação com o corpo mudou. Tudo bem ter o braço mais forte ou quadril mais largo. Bjs.

  10. Divana    03/07/2017 - 12h49

    Oiiii Lu!!!!
    Preciso dizer que eu vim aqui exatamente porque você disse que escreveu ese texto no InstaHistories de ontem. Por causa dos comentários e tals sobre seu corpo.
    Quero te dizer que te acho linda demais! Você inspira, e tenho certeza que sabe disso.
    Quero dizer também que seu texto me representa (embora eu seja magra de genética e quase nunca consigo manter meu peso um pouco acima… Meu drama). E não há nada melhor do que se sentir bem com o corpo.
    Eu estou nesse caminho. Aquele de me aceitar com meu peso a menos, com minhas neuras que todo mundo tem, mesmo o meu sendo o “inverso”.
    Continue inspirando! Abração!

  11. Ana Flavia    03/07/2017 - 13h24

    Depois de ver seu stories no Insta resolvi entrar no blog pra ler seu texto Lu!! Me lembrou muito o que a Shonda Rhimes falou no livro dela…estar forte para conseguir viver e fazer as coisas do dia a dia melhor e com mais disposição!
    Minha tia e madrinha sofreu muito no final da vida com dores horrorosas por um problema de saúde nos ossos. Caso ela tivesse mais força nos músculos, ou seja, tivesse feito exercícios durante boa parte de sua vida, ela teria sofrido bem menos com essas dores! :( Tiro ela como exemplo, apesar de que preciso tomar vergonha na cara e começar MESMO a me exercitar…pra mim é sempre um sofrimento e arrumo sempre, sempre desculpas pra nunca (re)começar!

    Te adoro e admiro demais Lu! <3

  12. ANNA LUIZA CARDOSO BARROS    03/07/2017 - 13h36

    Oi Lu!!!

    Vc perguntou no instagram sobre o blog, já respondi lá, mas lendo seu post de hoje queria dizer que amo esse tipo de texto seu. Você consegue se expressar tão bem que parece que está aqui comigo, um papo de amigas e assim, nos faz parar pra pensar, refletir.
    Sempre que estiver inspirada, continue escrevendo as coisas do dia a dia, sua visão sobre determinado assunto ou qualquer coisa que venha do coração!!!
    Amamos sempre!

  13. Joy Passos    03/07/2017 - 13h49

    Nossa…assunto delicado esse.
    A academia e eu vivemos em pé de guerra…uma luta constante…na verdade era.
    Depois eu assumi para mim mesma que não gosto de musculação e descobri outras atividades que me dão mais prazer, tudo ficou mais fácil.
    Hoje sei da importância da musculação e dedico 2 dias para ela, 2 dias para o tênis e 1 para o pilates.
    Tirando a musculação os demais são minha paixão…e, se me perguntarem qual é meu objetivo é me sentir bem e bem com o meu corpo.
    Acho que o bem estar que a atividade faz te motiva a fazer mais e, a consequência é um corpo mais magro.

    Adorei o post…

    Bjss

    Joy

  14. Vanessa    03/07/2017 - 13h54

    Sensacional! Também estou nessa vibe!

  15. Priscila    03/07/2017 - 13h55

    Lu, tão bom ler isso. Passei pelos mesmos “traumas”, já corri muito atrás do corpo perfeito, e hj luto uma batalha diária pra me aceitar como sou. Pra fazer exercício e comer bem por prazer, pra me sentir saudável sabe, e poder me permitir por exemplo descobrir novos sabores em uma viagem ou tomar um vinho com meu marido sem o fantasma da culpa. Muito bacana da tua parte, como a grande influenciadora que és, falar sobre esse assunto. Não é apologia ao corpo gordinho ou magro ou malhado ou… enfim… é apologia a se sentir linda e forte como vc mesmo disse, sem nos julgarmos tanto.
    Um beijo.

  16. Viviane Greghi    03/07/2017 - 13h56

    Fantastico. Leio seu blog desde 2014 quando comecei a planejar uma viagem pra Orlando com minha família e não parei mais. Só quando vc engravidou que me desinteresse. Já tinha filhos adolescentes. Qual minha surpresa quando o ano passado descobri que estava grávida aos 40 anos!!!! E corri pra ler todas suas dicas sobre gravidez kkkk
    Nunca comentei nada. Mas hoje vc me conquistou de vez! Parabéns você é a melhor chata de galocha que conheço!!!!!

  17. Julia Lorrane    03/07/2017 - 14h18

    Texto incrível, Lu! Vi ontem seu desabafo no stories e concordo com você.
    Eu emagreci do começo do ano pra cá mas não consigo subir um morro sem cansar. Amanhã tenho uma avaliação no pilates pra começar a sair desse sedentarismo.

  18. Elieth    03/07/2017 - 14h22

    Definitivamente! Eu sou magra, sempre fui. E sempre vejo meninas que são consideradas a cima do peso levantar muito mais peso que eu. Minha primeira semana, eu não aguentava nem o mínimo direito.

  19. Keila Stefani    03/07/2017 - 14h31

    Ei Lu, achei uma máximo sua postagem. Meu objetivo na cadeia sempre foi ser magra,lendo seu relato acho que passei pelo mesmo na infância, sempre fui cheinha depois de adulta acabei engordando muito é isso me prejudicava entrei na academia e virei rata..Kkk, perdi em torno de 30kg e cheguei no peso ideal, mas ao mesmo tempo acabei me cansado e no final do ano passado fui parando aos poucos de ir sempre na academia já estava enjoada disso, resultado acabei engordando uns kg, voltei a minha rotina de academia mas com esse mesmo pensamento seu, sem sofrimento não apenas para emagrecer mas pra me sentir bem comigo mesma e bem disposta pra vida e pro dia a dia, auto imagem é um assunto complicado, mas devemos nos entender e nos olhar mais em vez de busca em outras pessoas oq queremos… Bjus querida que vc continue essa pessoa iluminada!

  20. Karynne Silva    03/07/2017 - 14h33

    Concordo total Lú. O objetivo que me move é preparar meu corpo para engravidar (apesar da frustração de ainda não conseguir). Estou lá, firme, na alimentação eu peco muito e sempre me pergunto porque fraquejamos com algo que nos fará tão bem, tão melhores do que somos. Admiro muito sua família e o amor que passam para nós que os acompanhamos. É muito louco não nos conhecermos pessoalmente e ao mesmo tempo vocês despertarem sentimentos tão bons em quem os acompanha. Parabéns pelo trabalho, um beijo bem apertado nas melhores bochechas do youtube – Bibia Linda!

  21. Cristal    03/07/2017 - 14h44

    Primeira semana do mês e eu tinha me prometido que voltaria pra academia. Já comecei o dia pensando que poderia voltar amanhã. Mas não, vou me inscrever hoje e encarar a preguiça de frente. Obrigada por esse texto. 💛

  22. Bianca Paro    03/07/2017 - 14h49

    Oi Lu! Tudo bem?
    Confesso que raramente apareço para comentar, tanto aqui quanto em outras redes sociais, mas esse post me fez querer escrever um pouquinho.
    Seu texto é maravilhoso e muito real. Infelizmente, com a cultura do “corpo perfeito” em que vivemos hoje em dia, é difícil conseguir atingir um objetivo que muitas vezes nem sabemos ao certo qual é. Vivemos de quebra de expectativa em quebra de expectativa, de frustração em frustração, e esquecemos de reservar um tempinho e tentar enxergar o que nos motiva e o que realmente buscamos. Com o seu texto, isso ficou bem claro: descobrir o nosso real objetivo é o que faz valer a pena e o que nos dá força para continuar a lutar. O resto vem como consequência.

    Um super beijo pra você, pra sua família e pra todos que estão envolvidos em seu trabalho! Tudo é claramente feito com muita dedicação, muito capricho e bom gosto! ;*

  23. Juliana Barreto    03/07/2017 - 17h34

    Oi Lu, me pareço um pouco com você. Sempre fui fora do padrão (no meu caso gorda mesmo) e sempre tive o peso não só dos amiguinhos da escola mas da própria família… sempre tem aquela prima que é mais ou menos da sua idade mas é mais magrinha.
    Minha vida inteira foi/é uma batalha contra a balança, com 15 anos descobri que tinha problemas na tireoide e muita coisa melhorou quando comecei a trata-la, mas com 19 anos eu comecei a engordar de novo e tudo que até então estava adormecido voltou, todo o mal estar ao provar uma roupa e a vergonha de olhar alguém nos olhos. Já fiz 1000 dietas malucas, já passei na mão de cada profissional que ninguém merece.
    Hoje em dia eu tento viver sem o peso da balança, ser gorda não é vergonha então não devo me preocupar com minha imagem se minha saúde está 100%. Há alguns anos encontrei uma nutricionista que agora é quase família. Encontrei algumas atividades como um suporte pra viver melhor (natação, musculação e até crossfit). Eu acho que é isso mesmo que você disse, se sentir forte é mais importante do que magra!
    beijos

  24. Carol G    03/07/2017 - 17h57

    Lu, vi seu stories hoje sobre as pessoas perguntarem se você está grávida. Achei surreal. Aliás, faltou uma boa escola de bom senso para todo mundo. Será que ninguém ensinou que é feio? Às vezes até me pergunto se não são perguntas maldosas – aquelas alfinetadas disfarçadas de curiosidade, preocupação e fofura, sabe? Ah, me poupem! Juro pra você: toda vez que você aparece, seja em foto ou em vídeo, eu penso em como você está a cada dia mais linda, mais radiante, mais mulher e mais segura de si. Você está se superando a cada dia. Aliás, nós estamos, ainda que nem tudo esteja sempre como a gente quer. E não, você não está nada gordinha e mesmo que estivesse (repito: não, você não está!), dane-se se você engordou ou não. A graça da vida é essa: extrapolar um pouquinho sempre que temos a oportunidade de comer uma boa comida, conhecer um novo lugar, ter mais experiências etc. Depois a gente corre atrás e compensa… ou não, se a gente não quiser.

    Sobre o post de hoje, a-do-rei! Diz muito sobre mim. Tenho essa mesma sensação quando levanto a minha mala no avião, acredita? Já cheguei a retirar coisas dela por pensar que teria que levantar e Já titubei, precisei apoiar a mala na poltrona e levantar por etapas. Me senti tão envergonhada nesse dia! Todo mundo olha tudo o que a gente faz, né? O que estamos comendo, lendo, assistindo… Como se estivessem esperando alguma gafe nossa para lembra-los de que, assim como eles, também somos imperfeitos e temos as nossas questões. Mas enfim, se sentir forte é MARA! :D E comemoro toda vez que subo escadas e chego sem ofegar.

    E meu objetivo, além do emagrecimento, é resistência. Força. Sempre!

    Beijos procês três!

  25. ANA    03/07/2017 - 17h58

    Assino em baixo totalmente. Por mais textos opinativos de Lu Ferreira ;)

  26. Andréa    03/07/2017 - 18h28

    Hj meu objetivo é disposição. Mas durante muito tempo foi ganhar massa muscular. Sempre fui a magrela, sem perna, sem bunda e sem peito. Acho lindo aquelas mulheres com um corpão sabe?! Mas hj sei q nunca vou ser uma delas, pq esse não é meu biótipo. Sou magra e alta. Treino a muito tempo e gosto muito de musculação, mas vejo pouca mudança no meu corpo, faço pq gosto e pela disposição q sinto em fazer. Até pouco tempo queria muito colocar silicone, mas já estou repensando essa idéia. Coisa loca essas idéias de corpo ideal né!!

  27. Luiza    03/07/2017 - 18h33

    Eu sempre odiei muito a academia, nunca tentei mas sempre odiei…. quando descobri também um problema de coluna fui correr atrás do prejuízo e aí encontrei uma atividade física que me dava força, postura, resistência e o melhor de tudo, fora da academia, achei o pilates, o qual melhorei da coluna e hoje após 2 anos continuo praticando porque peguei gosto. Minhas dores lombares acabaram, minhas pernas tonificaram, e eu ganhei até um braço quase forte. Fica a dica pra quem odeia a academia e quer resultados… fora que com fisioterapeutas o risco de lesões é muito menor ne?
    Beijos Lu. Te acompanho tem longos anos ja!

  28. Amanda    03/07/2017 - 19h05

    Admirável!!!!
    Eu aqui com a minha felicidade em comer, comer e dormir, e deitar, comer kkkk
    Cada um feliz do seu jeito.
    Academia?? Passo longe 😉

  29. Lays    03/07/2017 - 19h36

    O meu é me sentir feliz e conseguir um equilíbrio na vida!
    Pra quem está com “problemas” de autoestima recomendo seguirem @garbindaiana @mbottan @satori.carol @fabisaba @comportamentoalimentar @natenovaes @naosouexposicao @naocontocalorias … Enfim, elas ajudam demais a vocês se aceitarem como são e se sentirem bem, não se torturando em busca do corpo “perfeito” das musas fit do Instagram :)

  30. sheilla    03/07/2017 - 20h10

    Meu objetivo é me manter como sou: magra!

  31. Carol    03/07/2017 - 21h03

    Sensacional! Tbm tenho esse objetivo, deixar meu corpo forte para envelhecer bem!

  32. Elaine    03/07/2017 - 21h17

    Muito bom esse post! Melhor ainda é encontrar alguém que q pensa como eu, que faz atividade física pq quer saúde pra sua vida e ñ só e tao somente por estética. Isso aconteceu comigo a atividade física me deixou mais forte e mais feliz pra viver as coisas do dia a dia, claro q junto o corpo fisicamente fica mais bonito, mas isso ñ é o primeiro item.

  33. Luiza    03/07/2017 - 21h24

    Amei o texto, é exatamente isto, sei lá tem um momento da vida que a gente sobe de nível, e para de dar valor pra coisas que não importam…

  34. Samara    03/07/2017 - 22h30

    Que texto fantástico!
    Meu Deus.. como eu me identifiquei 😱
    Sou fã desse blog não é atoa… Parabéns!!!

  35. Renata    04/07/2017 - 01h18

    Adorei o seu texto!
    Sempre falo na academia que um dos meus objetivos é conseguir resistência mas o pessoal de academia cisma que a gente sempre precisa perder gordura.
    Eu adoro me sentir forte como você diz. É um dos benefícios de malhar. Até porque a perda de peso é mais difícil.

  36. Ana Carolina    04/07/2017 - 07h14

    Pegar todo dia meu filho no colo é minha musculação diária. Eu faço exercício, mas não malho muito os braços. E meu bíceps está como nunca tive! 😁

  37. Karen Schafer    04/07/2017 - 07h16

    Baita post Lu! Fico feliz por você e por saber que não sou a única que pensa assim! Nos vemos aqui em Porto Alegre 😁

  38. Carol Scheffer    04/07/2017 - 08h11

    Oi Lu, estou precisando seguir suas dicas, os anos vão passando e meu peso aumentando, já comecei algumas academias, mas é complicado continuar.

  39. Ana Carolina Ermida    04/07/2017 - 10h02

    Parabéns pelo texto Lu! é exatamente o que penso, não malho em busca de um corpo que nunca terei, pois não é meu biotipo, malho para ter mais energia, força e condicionamento. E são nas pequenas coisas do dia a dia, como a questão da mala que citou, que vemos o resultado de nosso esforço. Beijos

  40. Joyce Corrêa    04/07/2017 - 13h56

    Lú, um dia ouvindo a Lara Nesteruk ( a nutri mais phoda desse mundo de snapchato) ela disse uma coisa que acendeu aquela luzinha de quando a ficha cai, sabe? ela disse o seguinte: “você não tem que fazer musculação p/ ficar com um corpo de fisiculturista ( só se vc quiser este corpo), voce tem que fazer musculação para quando voce ficar mais velho não depender de ninguém para sentar ou levantar do sofá. P se um dia vc cair no chão ( no sentido literal), vc ter forças para levantar sozinho, vc precisa de um músculo forte não para ser bonito e sim para ser independente.” Desde então este passou a ser meu objetivo na musculação: conseguir arrastar a cama/ o sofá ou algum movel pesado sozinha e nao sofrer quando estiver mais velha.

  41. Beatriz Maia    04/07/2017 - 14h36

    Lu, eu ameii esse post, chega dei até um sorriso quando cheguei ao fim. Parabéns pelo trabalho e pelo seu pensamento relatado acima. Te adoro, beijos pra você, leo, bia e xulia <3

  42. Paulinha Werneck    04/07/2017 - 15h33

    Que post maravilhoso! Eu vivo falando isso para os meus pais (66 anos): parem com isso de ter como atividade física pilates, hidroginástica, caminhada…vai malhar! Puxar ferro! Porque independência e velhice saudável é ter força pra levantar do chão se cair, sentar e levantar do vaso sem dores, carregar compras indo ao mercado…faz pilates e hidro como lazer e não como atividade física de “envelhecer com saúde”!

  43. Ana Letícia    04/07/2017 - 17h16

    Nossa Lu, é exatamente isso!! Tenho 16 anos e quando era pequena passei por uma fase gordinha. Emagreci, e muito, mas quando iniciei na academia, uns 3 meses atrás, o objetivo era emagrecer mais ainda e não foo essa a vontade que me deu quando comecei a me sentir mais disposta para qualquer atividade, ne sentir realmente forte! Obrigada por transcrever o que sinto em um post, é exatamente isso. Beijos, você é incrível, eu e minha mãe te adoramos haha

  44. Nattany Martins    04/07/2017 - 17h27

    Lu, menina! É exatamente assim que me sinto. Três meses atrás decidi trocar a musculação (que fazia há 2 anos) pelo Muay Thai. E foi a melhor escolha que fiz na vida!
    Domingo foi dia de fazer a prova de graduação e agora sou faixa amarela. O resultado destes três meses aliados a troca de anticoncepcional é que perdi muita medida, mas na balança o mesmo número. Fiquei me perguntando, de que vale número a menos na balança com corpo não saudável?

  45. Emilia    04/07/2017 - 21h05

    To na mesma vibe. Voltei a me exercitar ano passado com dois objetivos- ficar saudável e criar o habito de me exercitar. So comecei a emagrecer um pouquinho agora porque fui na nutricionista, mas ha meses ja me sinto mais forte e bem disposta – e com o corpo mais definido, apesar de a balança dizer que não perdi peso.

  46. Paula    05/07/2017 - 15h32

    Oi Lu!
    Adorei teu texto.
    Até pouco tempo eu ia na academia e fazia dieta pra emagrecer, mas hoje eu pratico atividades físicas e me alimento de forma saudável pra ser feliz e ter saúde!
    Obrigada por compartilhar a tua experiência conosco!
    Beijão

  47. Cynthia    05/07/2017 - 17h11

    Recomecei a academia, e por algum motivo me sentia inferior, sem energia, não merecedora de estar ali… Sem ânimo pra continuar e arranjando as melhores desculpas para as piores decisões que eu tomava… Até que houve um momento em que percebi que rejeitar meu corpo da forma como ele estava era impedir que ele fosse amado e pudesse mudar para melhor diante do meu esforço. Hoje ir à academia é um hábito para mim… Até tomo suplemento, faço dieta, etc, mas o mais importante é que eu AMO me AMAR, e isso não tem preço!!!

  48. Juliana Moreli de Almeida    06/07/2017 - 12h29

    Lu, depois de ver o filme Mulher Maravilha eu fiquei bem loka em querer ficar forte…isso empodera muito. Então começei a fazer pilates, aerohiit e musculação e cara, é incrível ver o quanto o corpo vai mudando a cada semana. Treinos que te matavam e você nem conseguia completar viram fichinha, é muito legal ver que você consegue carregar os pesos sem soltar os bofes pra fora. Meu objetivo é fortalecer meu corpo, mas principalmente minha coluna, que dói muito.
    É muito importante a gente saber priorizar condicionamento físico antes de aparência física.

  49. Chris Costa    06/07/2017 - 23h12

    Amei, amei o texto! Eu sou muito sedentária e magrela, antes era muito mais magra, então queria fazer academia pra ganhar massa muscular heheheh Acho que querer ser forte é algo realmente muito bom, adoraria ter mais força pra carregar coisas e não cansar rápido, seria tão mais fácil hahah

  50. Fabiana    08/07/2017 - 21h39

    Lu, pelo amor, não escute música com fone de ouvido bem alto, você vai acabar com sua audição!
    P.S: conselho de uma pessoa deficiente auditiva.
    Bjs

  51. Luana    11/07/2017 - 18h32

    Só amei!!
    Faço pilates desde 2011 (viciei de um jeito que nunca imaginei ser possível) e é assim que me sinto (e amo me sentir assim): forte :)

  52. Clarice    12/07/2017 - 07h53

    Estou adorando o blog como sempre!!! Os textos ótimos e com conteúdo!!!estou frequente de novooooo. Bjossss

Macacão listrado e pantacourt 😍 Look todo da @amarofashion, que tá com descontos incríveis nessa Black Friday! Tem uma seleção dos meus favoritos no chatadegalocha.com 😉
Mais sobre Lifestyle