Carregando...
Saúde e bem estar

Sexualidade e autoestima na pandemia

26.05.2021
Redação Chata de Galocha

Desde que a pandemia começou, muito se tem falado sobre questões como ansiedade, estresse e todos os temas relacionados à saúde mental. Aqui no Chata, inclusive, temos buscado sempre trazer essa conversa, com dicas de especialistas para ajudar a passar por esse momento tão complicado, de uma forma mais saudável, no corpo e na mente.

Mas hoje, vamos falar sobre um tema que nem sempre conversamos de forma aberta, nem mesmo com nossas amigas: a nossa sexualidade. Em momento de tantas preocupações sérias, tem sido comum uma queda na libido, além de uma relação de altos e baixos com a nossa autoestima. E esses dois tópicos estão diretamente ligados.

Para entendermos essa relação e como melhorá-la, entrevistamos a psicóloga e sexóloga Gabriela Marinho. Confira:

O que é a sexualidade positiva?

Sexualidade é uma força, uma expressão, é uma forma de energia que exerço no mundo. Então, a sexualidade positiva é essa expressão feita de forma real, leve e muito gostosa, como quando falamos sobre muitos outros assuntos que são essenciais para nossa sobrevivência. Por que então, não podemos tratar a sexualidade dessa forma, uma vez que ela nos acompanha desde nosso primeiro dia de vida até nosso último suspiro? 

Temos que deixar os tabus antigos e falas castradoras para trás e deixar o que tem de mais belo: o prazer. Interessante como quando falamos de prazer sexual para algumas pessoas parecemos estar erradas ou sendo imorais, e muito inadequadas. Sexo é vida, e viver nossa sexualdiade deve ser algo muito fluido e presente no dia a dia. 

Existe mulher completamente bem resolvida com a sexualidade?

Até existe, mas infelizmente não é algo tão comum quanto eu gostaria. Para ter uma vida sexual dita “resolvida” passamos por uma lista bem grande de pré requisitos que normalmente estão ligadas aos maiores tabus: harmonia com o próprio corpo, conhecimento do prazer, hábitos de masturbaçao, comunicação adequada com o parceiro(a) e principalmente uma relação saudável com o próprio tema “sexo”.Sendo assim, acredito que muitas mulheres estejam bem em vários pontos, mas percebo que sempre há alguma trava ou tabu no caminho. 

O quanto autoestima e desejo sexual estão ligados?

MUITO!! Se falamos anteriormente que sexo é uma energia de vida, uma expressao, é necessário que eu me sinta bem comigo mesma para me entregar, para me sentir bem, desejada. 

Autoestima tem a ver com como eu me posiciono no mundo, como me sinto ou acredito que deva ser vista e tratada. Ou seja, se eu me posicionar no mundo como uma pessoa feia, sem nenhum valor, no sexo isso irá ser refletido, infelizmente. E aí corremos o risco de entrar em relações vazias e até mesmo abusivas. 

Para ter uma vida sexual saudável eu preciso sentir prazer pela vida, desejo de viver, de ser feliz, de amar e usar meu corpo, e isso só será possível com uma autoestima estabilizada! Mas cuidado com as cobranças, hein meninas? Não pense que autoestima elevada é uma felicidade plena e permanente. Isso não existe e tudo bem alguns dias a gente não estar lá com o melhor astral. Se percebam e entendam o que pode estar acontecendo e busquem mudanças com paciência. 

Nesse momento de pandemia, entre tantas questões, há uma reclamação grande na queda da autoestima. Como lidar com isso, em uma fase tão complexa?

Realmente, neste momento, nosso emocional pode estar bem desestabilizado. Mas a dica é não entrar em ciclos de comparação com outras pessoas ou principalmente em redes sociais, onde tudo às vezes é lindo e maravilhoso. Tenha consciência de você e busque atividades de bem estar, independentemente de quais sejam. Com segurança, claro. Não desanime em se sentir bem e de se arrumar da forma que gosta, pois isso pode ser muito prejudicial. 

Nosso cérebro entende que estamos em um “eterno domingo” e não conseguimos encontrar motivação para mudanças. Não desista de você! Se necessário for, procure uma ajuda. Conversar com alguém pode ser muito positivo e te ajudar a equilibrar seu emocional. 

Vivenciar a sexualidade nesse período é algo complicado para as solteiras. Qual a importância da masturbação nessa fase especialmente e ela pode ajudar na autoestima, de alguma forma?

A masturbação nesse caso é fundamental. Precisamos manter sempre nossas fantasias sexuais ativas, já que elas são o combustível para o desejo sexual. Sem elas, vamos perdendo a motivação, a criatividade e até mesmo a vontade de transar (Deus nos livre, amigas!).

Outro ponto é a relação com seu próprio corpo. Quanto mais a gente se toca, mais a gente se conhece e acha pontos bem prazerosos na hora do sexo. Ame seu corpo, ame sua vulva e tenha uma relação realmente estreita com ela! Quando você retomar aos encontros reais, com certeza, estará super preparada e confiante na cama. 

Como você está com a sua sexualidade? Que tal fazer as pazes com ela e cuidar do seu prazer? 

0 Comentários  |  Deixar Comentários

Mais sobre Saúde e bem estar