Carregando...
Lifestyle

5 coisas que me ajudaram no puerpério (a número 3 é a mais importante!)

22.08.2017
Lu Ferreira

Uma grande amiga acabou de ter bebê e aí é inevitável relembrar um pouco dessa fase do puerpério, os primeiros dias com o bebê em casa. É curioso que a gente lê sobre tudo durante a gravidez, mas pouco se fala desse momento, que pra mim foi o mais difícil até hoje. Juntando a inexperiência, os hormônios malucos e a falta de sono, foi complicado passar por aqueles dias, mesmo com todo o apoio da família.

Vocês sabem que nunca fui de romantizar a maternidade, na verdade acho um desserviço às mulheres a imagem de mãe perfeita, que consegue dar conta de tudo, amamentar sem dramas, cuidar da casa e que ainda por cima abdica de tudo para estar com o bebê. Por aqui o puerpério foi de muita dúvida, muito (MUITO) choro, muito medo de não estar fazendo o melhor. Mas como em toda mudança, aos poucos a gente vai aprendendo, vai se adaptando e tudo começa a fluir!

No post de hoje vim dividir 5 coisas que me ajudaram durante o puerpério e podem ser úteis para quem está se preparando para receber seu bebê:

-Uma dica prática e que foi ótima por aqui foi deixar algumas refeições prontas no freezer. Alguns dias antes dela nascer lembro que fiquei horas na cozinha, já prevendo que depois não teria muito tempo, e foi dito e feito! Não tínhamos uma pessoa todos os dias em casa para ajudar e era impossível parar para cozinhar diariamente, então era muito prático só descongelar uma comida pronta e resolver o problema (já o problema de lembrar de parar para comer…)

-Depois de alguns dias você fica entediada de ficar o tempo todo dentro de casa. Provavelmente você estará de pijama o tempo todo e eu não me sentia bem comigo mesma. Me arrumar quando surgia a oportunidade de sair de casa fazia MUITA diferença na minha auto estima! Adoro me maquiar e me montava toda para ir ao pediatra, ao supermercado… Era bom me lembrar quem eu era, me sentir mais parecida comigo mesma, mesmo sendo um esforço nesse momento.

-O que mais me ajudou nessa fase foi o apoio das minhas amigas que já tinham filhos. Elas não fazem ideia de como cada mensagem de apoio me ajudava, e por isso mesmo faço questão de repetir o gesto. Elas perguntavam como eu estava, respondiam as minhas dúvidas, dividiam experiências, me tranquilizavam… Lembro demais do telefone apoiado na almofada de amamentação e dos papos enquanto a Bia mamava (um dos raros momentos que conseguia ficar no celular nessa fase).

-Outra coisa que me ajudava muito era assistir vídeos de Youtubers falando sobre maternidade. Entendo muito quando encontro seguidoras nas ruas que me contam que me conheceram pelos vídeos de maternidade, porque eu devo ter assistido TODOS os vídeos que existem, hahah! Era importante ver a experiência de outras pessoas, eu me sentia mais normal sabendo que outras mães também tinham os mesmos medos e dúvidas e muitas vezes encontrei a solução para questões que me incomodavam assistindo aos vídeos.

-Durante a gravidez decidimos que preferiríamos não receber visitas no primeiro mês. Claro que os avós e tios eram bem vindos, mas digo visitas de amigos e familiares mais distantes, daquele tipo que precisam de uma atenção especial afinal não são tão íntimos. Queríamos um tempo para nos conhecer e entender a nova rotina e sou muito grata por ter tido nosso desejo respeitado. Foi muito importante ficar à vontade com quem estava à nossa volta e ter tido esse tempo para nos adaptar à nova rotina. Sei que essa decisão é polêmica, mas pretendo fazer a mesma coisa se por acaso tiver um segundo filho.

Gostaram das dicas? Se você já passou por isso e lembra de alguma coisa que ajudou, conta aqui nos comentários!

11 Comentários  |  Deixar Comentários

Comentários:
  1. Letícia S Bessas    22/08/2017 - 13h23

    Oi Lu,
    Estou com uma bebê de pouco mais de dois meses e sei muito bem o que é essa fase.
    Me sentia muito estranha e nem parecia eu mesma no puerpério.
    Seus relatos sobre essa fase me ajudaram muito (me consolaram na verdade! rsrs)
    Agora as coisas estão entrando nos eixos e sou muito grata a você e as outras pessoas que dividem essa fase com a gente.
    Abraços!

  2. Juliana    22/08/2017 - 16h27

    Eu também assistir todos os seus vídeos sobre a gravidez. Estou de 39 semanas e morrendo de medo do Pós Parto e tudo o q vem pela frente. Suas dicas estão ajudando muito. bjs

  3. Pri Sathler    22/08/2017 - 17h53

    Oi Lu!
    Suas dicas foram ótimas! Principalmente a da comida congelada!!! Fiz isso nas duas vezes em que engravidei e realmente ajuda muito. A gente não se lembra de comer nessa fase, mas se a comida já estiver pronta tem mais chance da gente se alimentar melhor, né?
    bjs

  4. Irina    22/08/2017 - 19h40

    A dica que mais dou pra minhas amigas é: não tenha medo e/ou vergonha de pedir ajuda! Nós NÃO temos que dar conta de tudo sozinha!

  5. Marta    23/08/2017 - 09h10

    Lu, texto maravilhoso, muito bom que vc compartilhe essas dicas. Por aqui, estou na segunda gestação e espero que o puerpério seja mais leve dessa vez. Você consegue indicar algum canal ou canais que falem de maternidade e que te ajudaram?
    Beijos e obrigada!

  6. Sara Joseane    23/08/2017 - 10h03

    Oi Lu!

    Você poderia fazer um post com dicas de sites e canais do Youtube que mais indica para assuntos sobre maternidade?

    Ainda não tenho filhos mas também sou do tipo que devora todo o tipo de material que encontra pela frente sobre assuntos que não conheço muito, por isso seria legal termos suas dicas.

    Bjs

  7. Andrea Kamogawa    23/08/2017 - 10h35

    Lu bom dia,ganhei meu filho faz 9 dias e lendo seu post vibvc me descrevendo,meu Deus como é difícil eu não sabia explicar pro meu marido o que eu senria,simplesmente só queria ele o tempo todo ao meu lado.Hj estou melhor mas ainda me pego chorando,me pego com muitos medos, mas dizem que passa.Amei sua Matéria e tenho certeza que sera bem útil.Afinal 3 difícil mas VC olhar ao seu redor e ver um ser tao lindo e indefeso enche nosso coração de alegria e forca pra superar todo e qualquer dia mal.Um beijo te admiro e Amooooooooo seus videos e claro a Bibia ❤❤

  8. Aline    23/08/2017 - 10h52

    A ajuda mais sensacional que tive foi da minha mãe que mandou a faxineira dela no 1° dia em casa, pq aqui nós (eu e marido) fazemos tudo, não temos faxineira.
    Agora, em relação a visita, gostaria de ter tido a coragem de não liberar. Foi horrível. No 2° dia em casa, eu na maior dificuldade de amamentar, naquele cansaço bizarro que beira a loucura, minha casa cheia, visita chegando a noite, ficando horas, esperando lanchinho… Gosto nem de lembrar!

  9. Daniele Macedo    23/08/2017 - 11h35

    Oi Lu!!! Já comentei sobre isso em outros posts seus sobre esse assunto (aquele sobre “a armadilha da mulher maravilha” foi um deles) mas acho q vale repetir. Passei por momentos bem difíceis nos primeiros meses pós parto e acabei me sentindo normal e aliviada depois q li seus posts relatando sobre coisas parecidas vividas por vc. Eu tb chorei MUITO e muitas vezes sem nem saber direito o porque. Fiquei extremamente sensível, muito mais q na gravidez toda. Era um medo de não estar fazendo a coisa certa ou estar fazendo algo errado. Parecia q qq pequena coisa q saísse errado iria trazer graves consequências àquele serzinho tão indefeso q então sob os meus cuidados 24 hs por dia. Meu marido tirou 15 dias de férias e emendando com a licença paternidade, ficou 20 dias cmg me ajudando em tudo, TUDO mesmo. Foi aí q eu recusei a ajuda da minha mãe, já q meu marido iria me ajudar e nosso ape era bem pequeno, achei q acabaria ficando irritada com mais uma pessoa em casa. Qdo meu marido retornou ao trabalho, quase pirei e não sei porque não pedi então ajuda da minha mãe. Até hj tento entender pq fiz isso. Achava q conseguia dar conta de tudo. Quanta tolice!!! Mal conseguia comer pois tinha q cozinhar e qdo conseguia terminar a comida, ficava lá esfriando até eu ter uma nova brechinha pra conseguir comer. Passei dias de pijama, quase sempre descabelada pq mal tinha tempo de me pentear, enfim… foi péssimo!!! Hj se tivesse outro filho, faria tudo diferente. Toda ajuda é bem vinda e mães de primeira viagem, não tenham vergonha de pedir socorro, não caiam na armadilha da mulher maravilha como eu. Bjo

  10. Paloma Souza    23/08/2017 - 12h03

    Oi Lu! Meus Gêmeos estão com 7 meses. Essa foi minha primeira gestação e por aqui o puerpério foi punk! Muuuuuito choro também, eu praticamente não me reconhecia. Costumo dizer que fiquei com trauma dessa época… rsrs Mas acho que o importante é ter paciência, saber que essa fase passa e aceitar toda a ajuda possível. Bj

  11. Jaqueline    23/08/2017 - 12h28

    Sobre não receber visitas no primeiro mês, como você fez para que acontecesse? Não sei como dizer que não quero receber visitas tão já

O ÚLTIMO diário da reforma está no ar! Vem com a gente: youtube.com/luferreira 🏠
Mais sobre Lifestyle