19.08.2014 Lu Ferreira

Restaurantes em Milão – os melhores da minha viagem

Em: Europa, Gastronomia, Itália, Milão, Restaurantes, Viagem

Toda vez que volto de viagem faço um post falando de restaurantes onde estive, e o motivo é que sempre, sempre, sempre pesquiso em blogs antes de ir a algum restaurante em cidade desconhecida. Comer bem é parte importante de uma viagem (eu acho, hehe!) e olhando essas fotos eu posso dizer que comi (muito) bem nessa minha temporada em Milão! Fiquei muitos dias na cidade por conta do curso e por isso mesmo esse é o maior post desse tipo já publicado aqui no blog. Se você está de viagem marcada dá uma olhada:
milano1
Vou começar o meu Top3, os lugares que acho que todo mundo que vai passar nem que seja um dia na cidade deveria ir:

Latte Neve – o melhor gelato! Ir a Itália quer dizer provar muitos gelatos, sempre! No verão então… Eu experimentei pelo menos uns 10 (não estou exagerando!) diferentes e esse foi o meu favorito. Lugar simpático, com atendentes que te apresentam sabores diferentes e não te apressam. Muito simpático o atendente que falou pro Leo experimentar uma variação do pistache deles antes de pedir o comum, que ele já tinha achado delicioso. Eu sempre peço o combo Nocciola (avelã) + fior di latte (leite! Uma variação de creme e baunilha, AMO) e não me arrependi. Suuuuuper cremoso, com fila na porta mesmo tarde da noite, vale a pena! Fica na região do Navigli, não deixe de provar. Custa uns 3 euros, preço médio de qualquer gelato por lá.

Giacomo Ristorante – melhor.restaurante.de.Milão. Esse restaurante foi indicação de uma prima do Leo que mora na Itália, fomos na nossa última noite juntos por lá (é um restaurante caro, mas vale muito!) e é simplesmente O MELHOR! Sabe restaurante tradicional, em que você nem precisa saber o endereço? Pode entrar no táxi e dizer “Giacomo Ristorante per favore”, o taxista sabe onde é. Faça reserva e aproveite a entrada cortesia, uma pizza de aliche que não tem nada a ver com a daqui, deliciosa, tempero perfeito e nada salgada. Pedimos caprese de entrada (dividimos, decisão sábia) e vieram tomates perfeitamente maduros e aquela mozzarella cremosa que a gente só come na Itália.
De prato principal pedi cotoletta alla milanese, a versão original do nosso bife a milanesa. Já tinha comido em outros restaurantes da cidade, e vale dizer que é bem diferente da nossa versão: lá a carne é de vitelo, enorme, fininha, feita na manteiga e vem com o osso. SUPER light, hahaha! Mas esqueça a dieta na Itália, vale a pena! A cotoletta do Giacomo foi a melhor da viagem, e depois dela veio a melhor parte do restaurante: a sobremesa. Façam um favor a vocês mesmos e guardem um espacinho pra sobremesa, porque eu juro que nunca comi nada igual. Eles chegam com um carrinho de madeira cheio de tortas lindinhas e você decide o que comer. Fui de Bomba Giacomo, uma massa folhada com recheio de creme de mascarpone e frutas vermelhas e GENTE… Nossa, não tem igual, provem, por favor. A conta pra duas pessoas com vinho + entrada + pratos + duas sobremesas foi 140 euros.

Fiori Chiari – o melhor aperitivo! Uma tradição milanesa maravilhosa é a do aperitivo, a versão deles do happy hour: no final da tarde (geralmente das 17 até as 21h) você pede um drink e a casa te oferece um aperitivo, uma seleção de petiscos pra você degustar junto do seu drink. O Fiori Chiari fica na rua do mesmo nome em Brera, região lindinha e que me deixou bem em dúvida de onde ir, tudo parecia legal! Mas acertamos: pedimos uma taça de vinho por 9 euros e de aperitivo cada um recebeu um prato com frios, queijo e uma pastinha para comer com o gnocco fritto deles, uma coisinha deliciosa que lembra um pastel fofinho frito (e sem recheio).
milano2
Como o Marangoni fica pertinho do Duomo, conheci vários restaurantes na região, que também é a mais turística da cidade. Todo mundo que vai a Milão conhece o Duomo, e se você quiser comer alguma coisa por ali dá uma olhada nas minhas sugestões:

Juice Bar – Almocei muito nesse restaurante/ lanchonete, que também existe em vários outros endereços da cidade. A comida italiana é maravilhosa, mas gente, muito engordativa! Hahaha! Pra balancear muitas vezes escolhia a opção de salada do Juice Bar, em que você pode escolher 5 ingredientes para complementar a base de folhas deles. Barato (13 euros salada + água) e rápido, opção ótima pros dias de calor.

Charleston – Se você prefere almoçar de verdade enquanto passeia por ali sugiro ir até o Charleston, que fica numa praça paralela ao Corso Vittorio Emanuele, o principal dessa região. A praça é calminha e sentar na varanda é bem gostoso! O restaurante tem opções de todos os tipos (de pizza a frutos do mar) e o atendimento é bem simpático. Os pratos ficam entre 14 e 20 euros e se você der sorte ainda encontra o garçom que fala português (e adora bater papo heheh).

Luini Panzerotti – O Luini é mais ponto turístico do que restaurante, mas não podia deixá-lo de fora da lista. O panzerotti é uma espécie de pastel frito, com massa fofinha e recheio farto… Parece uma massa de sonho porém salgada, sabe? Claro que é delicioso, heheh! O tradicional é recheado com tomate e mozzarella, mas prove as outras opções também! Custa 2,50 e sempre tem fila, mas vale a pena provar. Ah: vale dizer que não existem mesas, você compra e vai comendo na rua ou sentado nas calçadas.

La Rinascente – a La Rinascente é uma loja de departamentos, acredito que a maior da cidade. São muitos andares e no último deles uma espécie de praça de alimentação, com várias opções de restaurantes e o melhor: o terraço com vista para o Duomo. Pra fazer aperitivo ou almoçar é um programa bem gostoso, que vale pela vista. O almoço fica entre 14-20 euros e o aperitivo entre 10-13.

(more…)

Posts Relacionados:

14.08.2014 Lu Ferreira

Vlog: um dia comigo em Milão!

Em: Europa, Itália, Milão, Viagem, Video

milano Demorei pra conseguir me organizar depois dessa viagem, fiquei muito tempo fora e tive muitos compromissos nesses primeiros dias, e por isso só agora consegui vir mostrar o vlog que gravei lá em Milão! Esse dia foi especialmente cheio: tive aula teórica pela manhã, seguida por uma sessão de fotos para o projeto final do curso e depois fui turistar com Leo. Visitamos o topo do Duomo e a Galleria Vittorio Emanuele, além de fazer compras ali por perto e mais tarde ir jantar em Brera. Clica para assistir: Deu saudades assistindo, viu?? Milão é uma cidade muito legal, que eu fui gostando mais a cada dia. Logo que contei que ia pra lá recebi alguns comentários meio desanimados, dizendo que não viam muita graça na cidade, mas é que a cidade não é muito óbvia, a gente não gosta de cara, sabe? Tem muita coisa pra ver e quero fazer um post tipo roteirinho, o que vocês acham? milano2 Quem gostou do video não esquece de se inscrever no canal do Youtube, tem video novo toda semana e quem é inscrito assiste primeiro ;D

Posts Relacionados:

07.08.2014 Lu Ferreira

Double touch lipstick Kiko – Vale a pena!

Em: Batom, Beleza, Europa, Itália, Maquiagem, Milão, Viagem

kiko4
Na primeira vez em que estive na Itália foi impossível não reparar na Kiko, marca de maquiagem aqui de Milão que tem lojas espalhadas pelo país inteiro. O esquema das lojas é como na Sephora, você fica livre pra conhecer os produtos e depois de pegar o que quer leva ao caixa e fim. Esse tipo de loja é meu favorito, principalmente quando não conheço a marca e quero testar as coisas com calma, sabe? Acabei comprando vários produtos pra testar nas viagens à Itália (já comprei batons, pó, sombras… De tudo um pouco) e cheguei à uma conclusão: a Kiko é uma marca ok, com muitas opções de cor e preço bom, mas não é sempre que vale a pena gastar seus eurinhos por lá.
kiko3
Muitas vezes me decepcionei com a pigmentação ou durabilidade de um produto, que mesmo sendo vendido por um preço legal eu não compraria novamente. Mas tem um que vale a pena, e muito! O Double Touch Lipstick, batom de longa duração da marca =D
kiko

Ele tem aquele velho esquema dos batons de longa duração em que você aplica a cor de um lado (o batom é líquido) e um gloss do outro. Você primeiro aplica a parte colorida, tomando cuidado com o desenho da boca, já que ele seca rápido e é difícil de corrigir, e espera uns 30 segundos. Aí ele vai secar e você aplica a outra parte, o gloss, que vai garantir a sensação de conforto, porque quando a cor seca a boca fica toda seca também, não dá pra usar sem a parte transparente. Mesmo não curtindo muito batom com acabamento brilhante gosto desse, o gloss não é tão intenso.
kiko5

Dessa vez estou levando essas três cores pra casa, as mais intensas que achei na loja. Eles custam menos de 10 euros (se não me engano, €6,90!) e duram muito nos lábios! Já usei em dois dias de aula, em que apliquei por volta das 8 da manhã e ele durou bem até às 18, cumprindo exatamente as 10 horas que promete no rótulo. Vale a pena levar na mala ;D

Alguém já testou os produtos da Kiko e tem dicas do que comprar por lá?

Posts Relacionados:

04.08.2014 Lu Ferreira

Conhecendo Cinque Terre – Itália

Em: Cinque Terre, Europa, Itália, Viagem

cinque_terre_chata_de_galocha_viagem_lu_ferreira_fotos_leo_horta_0177
Além de passar essas três semanas estudando em Milão eu quis aproveitar pelo menos um final de semana pra viajar aqui dentro da Itália. Um lugar que é próximo de Milão e nós ainda não conhecíamos é Cinque Terre, uma região de cinco vilarejos que fica a 3 horas (de trem) de Milão. Pesquisando sobre as Cinque Terre acabamos decidindo nos hospedar em Monterosso, a terre que tem mais infra-estrutura. Alguns relatos que li antes de ir recomendam ficar em uma das cidades do entorno, como La Spezia, mas amei a experiência de ficar duas noites em Monterosso e recomendo pra quem for passar pela região.
trem
Compramos o tíquete de trem Cinque Terre de um dia (12 euros por pessoa), que permite a viagem em qualquer trem regional que pare nas terres durante um dia (também existe o tíquete de dois dias, acho ideal pra quem tiver mais tempo na região) e assim fomos conhecendo cada uma das cidadezinhas: Riomaggiore, Manarola, Corniglia, Vernazza e de volta a Monterosso. Uma coisa importante pra quem for comprar o tíquete é lembrar de validar antes de usar pela primeira vez: é só colocar cada um nas maquininhas que ficam espalhadas pela estação.
cinque_terre_chata_de_galocha_viagem_lu_ferreira_fotos_leo_horta_0166
Riomaggiore é uma graça de cidade. Super íngreme e bem pequena, foi a primeira parada depois de amanhecermos em Monterosso. Uma caminhada curta liga a estacão ao centro da cidade e também à Marina, que tem uma vista muito bonita. É a cidade com mais cara de vila de pescador, as casas parecem que vão despencar, é muito bonito e diferente. Não demoramos por lá, apenas passeamos pelo centro, tomamos um belo gelato artesanal (de melancia! Inusitado, né?) e partimos pra próxima.

(more…)

Posts Relacionados:

Nenhum post relacionado foi encontrado :(